DEMOCRACIA PARTICIPATIVA- A única verdadeira!

O caso dos Pesseghini. História mal contada ?

O caso dos Pesseghini. História mal contada ?

Escolha o cenário do crime. O caso dos Pesseghini.

 

 

Leio autores de livros de ficção desde os meus dez anos de idade. Meus autores favoritos eram S. S. Van Dine, Ellery Queen, Agatha Christie, Conan Doyle, Maurice Leblanc... Desde garoto que leio até no banheiro. Aprendi que para desvendar um crime é necessária muita isenção de julgamento, mente aberta para todas as possibilidades mesmo que pareçam absurdas, tempo disponível e uma boa conta bancária que permita o tempo necessário para se dedicar á causa de descobrir o “móbil” do crime que quase invariavelmente nos levará ao suspeito – ou suspeitos - mais plausíveis. Disponibilizar de uns trocados extras para comprar informações costuma ser muito útil. Quando, porém, os crimes ocorrem com políticos, policiais, gente importante, é necessária ainda mais atenção, porque as forças políticas podem tentar omitir provas, dificultar as investigações ou ainda simplificar a explicação do crime dando-lhe uma plausibilidade que de fato não tem, e acabar por conduzir a algum inocente como autor do crime.

 

 Meus autores preferidos de romances policiais

  1. Cenário conhecido

 

 

Em meio a uma onda de assassinatos que assolam a cidade de S. Paulo, há já vários meses, quase meio ano, movimentos de rua, assaltos e assassinatos perpetrados por narcotraficantes e bandidos em geral, ocorre um caso inusitado: Dois policiais, marido e mulher são encontrados em casa, assassinados, e na mesma cena do crime, o filho, de apenas 13 anos, sua tia e sua avó, também mortos. Segundo fotos de uma reconstituição, a mãe morreu de joelhos encostada ao lado esquerdo da cama, o torso tombado sobre o leito. Do outro lado da cama, o pai, de bruços. Em outros aposentos, a tia e a avó estavam deitadas em seus leitos. O corpo de Marcelo, o filho, estava caído sobre a arma, em decúbito dorsal, segurando-a com a mão esquerda. Um familiar de Marcelo afirmou que ele era destro. Posteriormente a polícia assumiu que ele era canhoto. Os corpos foram encontrados numa tarde de segunda-feira e segundo a polícia, foram assassinados durante a noite. O filho Marcelo foi à escola, com os pais já mortos, e voltou para casa onde morreu. Um amigo dele disse que ele pretendia ser um policial como o pai, e ultimamente tinha apresentado um “comportamento estranho”. O mesmo garoto disse que Marcelo tinha planos de matar os pais e depois fugir no carro da família. O mesmo colega afirmou também que Marcelo pretendia ser “matador de aluguel”. Os tiros não foram ouvidos pelos vizinhos. Não havia sinais de resistência das vítimas nos aposentos. Em sua mochila foi encontrada outra arma de fogo (do avô) e uma faca.  

 

Além do depoimento do amigo de Marcelo, familiares afirmam que Marcelo era um bom garoto, tranqüilo e que não acreditam que Marcelo pudesse ter efetuado os disparos. Uma professora afirmou que Marcelo lhe havia perguntado se já fizera mal aos pais e se tinha dirigido automóvel. Disse-lhe Marcelo que já tinha dirigido um “buggy”. Em vídeos de câmaras o carro aparece em frente à escola.

Presume-se que o cenário do crime tenha sido perfeitamente preservado, e que foram retiradas amostras do estômago das vítimas para se certificar que tenham ou não sido dopadas.  As vítimas foram enterradas na terça-feira.      

 

 

  1. Marcelo teria sido o autor e depois se suicidou.

 

 Marcelo com os pais

Para que esta hipótese seja verdadeira – e pode ser – vários fatos teriam que ter ocorrido.

 

Marcelo teria que se assegurar que todos estariam dormindo e que o primeiro tiro não despertasse ninguém em casa. Seus pais eram policiais treinados. Depois do primeiro tiro, os demais acordariam. O que teriam comido todos, ou que tipo de veneno ou tranqüilizante se teria valido Marcelo para que todos estivessem dormindo no mesmo instante de forma a não acordarem com o barulho dos tiros? Teria ele pensado que teria que abater primeiro os pais – por serem policiais – e depois a tia e a avó mais indefesas? Realmente é difícil aceitar isto de ânimo leve para uma criança de 13 anos. E ainda mais aceitar que tivesse interrompido o seu plano para ir à escola tranqüilamente no dia seguinte, sem aproveitar o momento para fugir como seriam os seus planos, se é que o amigo não está mentindo. Depois de matar a família, seria fácil sair de casa e consumar o plano, mas contrariamente, vai para a escola, volta a casa e se mata. Que nível de confiança tinha Marcelo com seu amigo a ponto de confidenciar seus desejos de matar os pais, e que confiança tinha de que seu amigo não o trairia, contando para os demais?

 

Um tiro de “.40” faz um bom estrago no cérebro, impulsionando-o para o lado do sentido de movimento da bala. Se ele o efetuasse sentado ou em pé, certamente seu corpo, mesmo em decúbito dorsal não ficaria “arrumado”, O braço esquerdo ficaria nitidamente afastado do corpo, este torcido. (a arma seria impelida pelo tranco numa direção e a cabeça na direção contaria).

 

Ao dizer à professora que já tinha dirigido um Buggy e presumindo que seus pais não o deixassem dirigir o automóvel da família, Marcelo parece ter dirigido muito bem seu carro até a escola que fica a cerca de 5 km de distancia, estacionado, assistido às aulas, e fazendo o percurso inverso. Notáveis o sangue frio, sua experiência com armas de fogo, dirigir automóvel, manter-se tranqüilo nas aulas da manhã com a família morta em sua residência. E o que fazia a arma do avô na mochila de Marcelo? Marcelo agiu sozinho ou foi instruído?

 

Não parece muito “plausível”, e certamente os exames de perícia, a terem sido corretamente executados, com a devida “reconstituição do crime”, podem levar à possibilidade ou impossibilidade de o crime ter sido efetuado por um ou mais suspeitos.

 

  1. As vítimas foram mortas por terceiros, o que exclui Marcelo como autor.

 

 

Neste caso há uma hipótese para a autoria ou co-autoria do crime quer por policiais quer por narcotraficantes ou bandidos de qualquer espécie, para duas hipóteses de Móbil do Crime: Queima de arquivo ou vingança.

 

Nesta hipótese, e como os vizinhos não ouviram os tiros, também não devem ter escutado qualquer veículo nas imediações, e mesmo por volta das seis ou sete da manhã, o carro dos pais de Marcelo não pareceria estranho ao dirigir-se à escola. Neste caso alguém poderia estar dirigindo o veículo.

 

Reconstituição hipotética do crime sob esta hipótese:

 

Marcelo, segundo familiares, queria ser policial, em total oposição aos comentários que teria feito com seu amigo de escola, segundo o qual queria matar os pais e ser um matador de aluguel.

 

Quer por vingança, ou queima de arquivo, policial ou bandido entra na casa da família e atira com abafadores de som (pode ter sido mais de um). Isso explica porque os vizinhos não escutaram os tiros. É possível que Marcelo lhes tenha aberto a porta. Só há uma vítima que não estava acordada: A mãe de Marcelo, que morreu de joelhos em frente à cama. Por estar acordada, provavelmente foi a primeira a ser atingida. Isto explicaria porque razão todas as demais vítimas poderiam estar dormindo, não dopadas. Tiros certeiros (como devem ter sido a julgar pela posição arrumada do corpo de Marcelo) denotariam que o autor fosse exímio atirador, coisa que Marcelo aparentemente não era.

 

Para confundir as investigações, mandam Marcelo à escola sob promessa que lhe garantiriam a vida se procedesse desse modo. Na volta atiram em Marcelo. Esta hipótese explica também porque razão Marcelo não apresentou vestígios de pólvora nos dedos, assim como explicaria que Marcelo, tendo a arma na mão esquerda o colocaria como canhoto, contrariamente às afirmações de familiares de que era destro.

 

O fato de Marcelo ter na mochila a arma do avô e ter preferido a arma da mãe, abre outras hipóteses que parecem menos plausíveis, mas que não podem ser descartadas. Uma delas teria por base o fato de a mãe estar acordada no momento do crime, abrindo uma hipótese adicional de ter sido ela a perpetrar o crime e a atirar na família, tendo sido o filho morto por ela num processo de “eliminação familiar”. Neste caso teria atirado logo que o filho foi para a escola, dando-se um tempo para decidir se o matava na volta ou se cometeria suicídio antes de sua volta poupando-o. O ideal seria determinar a “seqüência das mortes”. 

 

 

Todas estas hipóteses possuem falhas evidentemente. Trata-se de especulação, mas de qualquer forma as perguntas devem ser respondidas – estas e outras - para que a determinação da culpabilidade esteja de acordo com os padrões de análise da cena do crime, dos motivos, da analise química do conteúdo estomacal das vítimas e da reconstituição do crime.

 

 

© Rui Rodrigues

 

O texto abaixo está no link 

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/08/11/legista-do-caso-pc-farias-contesta-pm-de-sp-e-diz-que-filho-de-sargento-da-rota-foi-assassinado.htm

O médico legista e professor da Ufal (Universidade Federal de Alagoas) George Sanguinetti, que ficou conhecido por refazer o laudo das mortes do casal Paulo Cesar Farias e Suzana Marcolino e apontar que eles foram assassinados em 1996, afirmou em entrevista ao UOL que o filho do casal de policiais militares paulistas Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, 13, também foi assassinado junto com os pais.



Ao analisar as fotos da sala em que Marcelo e os pais foram encontrados mortos, Sanguinetti foi categórico ao afirmar que a posição do corpo do adolescente não é compatível com a de um suicídio, e sim, com a de um assassinato.
"Há muita clareza nas posições dos corpos, que mostram que os três foram assassinados. Ao fazer os cálculos de corpos com estatura semelhantes à da mãe e do filho, podemos observar que todos foram mortos por outra pessoa", disse Sanguinetti, explicando em um cenário montado com um colchão no chão e um boneco na posição semelhante à qual Marcelo foi encontrado morto.
"A posição em que o corpo do menino caiu, com a mão direita em cima do lado esquerdo da cabeça e o braço esquerdo dobrado para trás, com a palma mão esquerda aberta para cima, não é compatível com a posição de um suicida, e sim, com a de uma pessoa que foi assassinada. A arma do crime também não está no local compatível, que iria aparecer na foto em cima da cama ou próximo aos joelhos do menino", explicou Sanguinetti.
Para ele, a equipe da perícia precisa refazer os cálculos do trajeto dos corpos ao serem atingidos pelos projéteis porque a conclusão está equivocada ao afirmar que o menino assassinou os pais e depois se matou. Ele explicou que não é impossível refazer os cálculos mesmo com o cenário desfeito e que os peritos devem se basear nas imagens para concluir "claramente" que o menino também foi vítima.

Am"Apesar de as pessoas próximas ao menino dizerem que ele sabia atirar, a forma como cada um deles foi morto, com apenas um tiro na cabeça, é de atirador profissional. Por mais que o menino tivesse habilidade, ele iria efetuar mais de um disparo para atingir os corpos dos pais e para se certificar de que eles teriam morrido", argumentou o legista.

Sanguinetti disse que também seguiu os cálculos da medicina legal para afirmar que o corpo de Andreia foi colocado no local em que foi encontrado. Para ele, a policial não foi morta na posição fetal. "A parte do corpo que ficou suspensa na cama corresponde a 15% da massa [corporal da vítima], e o peso restante iria fazer o corpo ser arrastado para o chão. Jamais, ao levar um tiro, o corpo conseguiria se manter em uma posição que a parte mais leve seguraria a parte mais pesada, a não ser que já estivesse com rigidez cadavérica, como podemos observar na foto."
O legista também questionou o argumento de que não foi detectada a presença de chumbo, antimônio, bário e pólvora nas mãos do menino, e que, ao efetuar supostamente os cinco disparos que mataram o adolescente, os pais, a avó Benedita de Oliveira Bovo, 67, e a tia Bernadete Oliveira da Silva, 55, o polegar e a parte dorsal da mão esquerda, obrigatoriamente, teriam algum vestígio.

 

pliar"Informaram que o menino era sinistro e nem a mão esquerda, a provável a ser usada para fazer os disparos, e nem direita apareceram com resíduos de tiros. Obrigatoriamente quando efetuam-se disparos de arma de fogo os resíduos aparecem. Se disserem que ele efetuou e deu negativo o exame residuográfico estamos indo de encontro com toda a medicina legal", afirmou

 

O médico legista questionou ainda o porquê da equipe de criminalistas não realizar exame em microscópio para observar resíduos dos tiros na derme e na epiderme do garoto. "Eles fizeram exames somente com a lavagem das mãos em soro, mas deviam ter retirado pedaços da pele do menino para investigar os resíduos e iriam encontrar", disse.

Você acredita na versão dada pela polícia para a morte dos PMs e de toda a família em São Paulo?

Sanguinetti disse que também analisou os relatos do cenário da casa dos PMs paulistas assassinados e afirmou que a equipe de peritos só observou se o portão e a porta estavam intactos, sem sinais de arrombamento. "Tinha uma janela com o cadeado arrombado e eles ignoraram a informação da cena. Provavelmente a pessoa que matou os cinco entrou pelo local."
  • DEMOCRACIA PARTICIPATIVA, TOTAL, VERDADEIRA,
  • Como funciona a Democracia Participativa- Divulgar
  • Brasil - Esboço para nova Constituição
  • Portugal - Esboço para Nova Constituição
  • Sites sobre Democracia Participativa
  • O despertar do Norte de África-(E da humanidade?)
  • O uso de seu voto na democracia participativa
  • Tabus Sociais e a Democracia Participativa
  • Mensagem aos portugueses
  • senhores candidatos, com que cara vão pedir votos?
  • Sobre transição da Ditadura para “Democracia” e...
  • Sobre os bancos que recolhem as verbas públicas
  • O clima está mudando e as cigarras são poucas.
  • Chega de hipocrisia política- Basta!
  • A produtividade da emergente economia brasileira
  • O que esperamos nós, amantes da ética...
  • VOCÊ É RICO POBRE OU MISERÁVEL? – (Decida)
  • Cenário -2018
  • VIOLÊNCIA NO MUNDO (O que poucos admitem)
  • CAMARATE- Depoimento do ATENTADO e envolvimentos
  • Porque crise mundial não termina antes de 2018/28
  • O Brasil que queremos e a curva de Gauss
  • A crise econômica portuguesa, o fado, e a solução
  • 2011-Dívidas interna/externa de Portugal e Brasil
  • O perfil vencedor de um candidato a senador
  • Indecisões na Vida - E na política
  • A asquerosidade dos ratos de esgoto
  • Crise Mundial de 2008 – Fundamentos
  • Curdos - Síria - Bashar al-Assad
  • Intervenção do estado na democracia brasileira
  • From Russia With Love - Da Rússia com amor
  • Está lá o corpo estendido no chão
  • Crise econômica mundial e as “mudanças” políticas
  • Cuba, Fidel e o fim do Comunismo
  • Visões modernas do Socialismo no Brasil
  • Tudo bem, senhores do governo[1], roubem à vontade
  • Angola - Curiosidades sobre uma nova nação
  • A rica industria da pobreza
  • Esses Líderes de Araque
  • Homens e mulheres à frente do “seu” tempo!
  • O futuro de Portugal- Essa sociedade amorfa
  • CHINA , presente e futuro - 中国,现在和未来
  • Sem ilusões - Política e dopamina
  • Afundem o Lusitânia e outros 3 engôdos políticos
  • Crise mundial - sou paciente - Tenho paciência
  • Pressões sociais hoje – A Partilha do queijo
  • Brasil - Porque o PT perdeu as eleições – 2012
  • O Brasil de hoje - Uma opinião sem muita filosofia
  • Portugal – Como sair da crise de 2008
  • Política e vida à luz da consciência -
  • Panorama mundial - 2012.
  • O que é emigrar - Portugueses
  • Como passar em provas - Brasil - ENEM
  • O dilema do eleitor na hora de votar.
  • Vamos acabar com as guerras?
  • Os últimos condenados à morte
  • Good bye Romney!
  • Goa, Damão e Diu – Outra verdade!
  • Os neoescravos do século XXI
  • Humanidade encurralada !!!
  • Amazônia – Uma solução
  • Carta Aberta a Angela Merkel
  • Brasil fora de Ordem e de Progresso?
  • Como começa uma guerra mundial – Sinais
  • De olho em Dilma Rousseff - Reeleição jamais!
  • O Oriente Médio – momento atual e futuro.
  • Penso, então existo.
  • Economia - Um jogo de Pôquer ?
  • Lula suicidou-se!
  • Curemo-nos a nós mesmos
  • Contratos - No âmbito da administração pública
  • A necessidade da política tal como a conhecemos
  • Política- O incrível exército dos moribundos
  • Ensaio sobre a existência
  • O conflito Israel-palestino - O Cerne da Questão
  • Uma velha profissão: Políticos artistas!
  • Bento XVI, a Igreja Católica e as mudanças
  • Construindo imagens do mundo.
  • Bolsa de apostas - Quem será novo Papa
  • Consciência Planetária
  • A segunda guerra da Coréia
  • Os sete trabalhos de Francisco
  • Precisamos de um novo modelo econômico?
  • Sobre Margareth Thatcher – Conclusão póstuma.
  • Sobre os povos indígenas[1]
  • Como acabar com o terrorismo – Um processo difícil
  • A tragédia portuguesa - A verdade !
  • A ilha de Páscoa, um exemplo da sustentabilidade
  • Feminino masculino - Hatshepsut e Joana
  • O futuro político do Brasil – Sem muita filosofia.
  • Atlântida - A verdade à luz de Platão.
  • O despertar do monstro humanidade
  • Sexo e filhos
  • Conto - Manitu e Alce Pensativo
  • Caminhadas pela natureza da vida
  • Entenda-se Lula e Dilma e “seus” governos.
  • O messianismo político na América do Sul
  • A fama no tempo dos que governam.
  • Os arquivos secretos de Lula
  • Entendendo o Senhor Ministro Barbosa
  • O extraterrestre de Catités
  • Os quatro cavaleiros do Petecalipse.
  • Rumos da política portuguesa
  • RecaPiTulando o PT....
  • O livro vermelho do Crack
  • Seja sempre honesto quando procurar emprego.
  • Acredite, há um modo fácil de ser feliz neste mund
  • Tese Social - A armadilha do Destino
  • Sociedades em transformação e o Mundo Gay
  • O mendigo [1] ilustrado
  • A nobre arte de varrer e o “socialismo transnacio”
  • Razões dos movimentos de rua no Brasil 2013
  • Carta aberta ao Governo e ao Congresso Nacional
  • A JURISPRUDÊNCIA E A MORALIZAÇÃO DO BRASIL
  • Egito – uma primavera da humanidade ?
  • Senatus Populis Que Brasilis.
  • Apelo às forças armadas do Brasil
  • Uma hora de cidadão na democracia participativa.
  • O voto
  • Sete bilhões de humanos procurando governo honesto
  • O PAPA FRANCISCO QUE SE CUIDE...
  • conto - Meus professores me enganaram.
  • Se eu fosse senador
  • o Nojo....
  • Como os cidadãos podem governar por si mesmos
  • Cabum ! Preparação para nova guerra ?
  • Traição à Pátria
  • A neve de Verão (sob o ponto de vista do boi)
  • Weimar 1919 e Brasil 2013 - Um paralelo
  • Porque o Papa Francisco pede para rezar por ele
  • Venha viajar de balão. É grátis.
  • INTERVENÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS.
  • Os acordos "Direita x Esquerda" e o fosso de vácuo
  • O caso dos Pesseghini. História mal contada ?
  • Brasil em impasse político
  • O Ciclo do Comunismo - Ascensão e queda.
  • Carta Aberta ao Ministro Lewandovsky
  • O “deus tutelar” - Seus efeitos sociais e ...
  • Esboço para alterações políticas - Brasil
  • O casamento e o presidente.
  • MOTIVAÇÕES de líderes mundiais
  • Limpando o senado federal, dando-lhe ética e moral
  • protocolo e cerimonial Planalto e Casa Branca
  • O amor nos tempos do dengue.
  • Minha admiração pela "Ladeira Abaixo 10"
  • O mercado de drogas. Como combater.
  • O melhor Partido Político.
  • Já sentiu saudades de um tempo que nunca viveu?
  • Acha que o “mundo” está mudando ?
  • O ultimo encontro com Fidel Castro
  • A Política no Brasil em tons de verde e amarelo
  • O Socialismo do século XXI – Nu e cru.
  • Ucrânia – Crimeia por Guantánamo?
  • O que podemos mudar no mundo para ser mais justo?
  • A Democracia Participativa e as eleições de 2014.
  • A famigerada copa Brasil 2014 da FIFA.
  • As eleições de 2014
  • O momento político-econômico do Brasil - jan 2015
  • 2015 - Já vimos este filme antes?
  • Refletindo sobre guerras - Teremos mais uma ?
  • A Grande Esperança para a humanidade e o Ambiente
  • A Ordem é uma estrada e por ela vai um Bando...
  • Contactos
  • Translate this Page



    ONLINE
    2






     DP

    Na humanidade, o que importa é o individuo. Todo o resto da paisagem que nos cerca serve para manter o individuo. Vivemos em sociedades, cada uma com suas características e se viverem em paz entre si não teremos guerras. Parece lógico, mas ou não é lógico, ou há grupos dentro das sociedades que não entendem esta lógica. Esquecem o coletivo e olham para si mesmos querendo o mundo para si. Restringem a humanidade ao seu grupo.

    Todo o ser humano que seja verdadeiro democrata é a favor: 

    1. Dos direitos da criança
    2. Dos direitos humanos
    3. Da paz entre as sociedades e as nações
    4. Da igualdade de gêneros perante a lei e as instituições religiosas
    5. Pela liberdade de expressão em qualquer lugar
    6. Pela sustentabilidade do planeta
    7. Pela proteção da vida selvagem
    8. De rejeitar qualquer movimento ou ação terrorista
    9. De rejeitar qualquer tipo de violência
    10. De votar item por item a própria Constituição que regirá o governo
    11. De ampliar a democracia ao direito de deseleger quem perca a confiança do eleitor
    12. De ter voz decisiva nas decisões de Estado, por votação popular. 
    13. Da Justiça independente da política
    14. Da nomeação de Juízes do Supremo Tribunal e Ministros por votação popular. 
    Blog recomendado para assuntos gerais relacionados ou não com este tema: