DEMOCRACIA PARTICIPATIVA- A única verdadeira!

Os neoescravos do século XXI

Os neoescravos do século XXI

 

os velhos  

Os neoescravos do século XXI

“Neo” significa novo! Novo deveria entender-se por “diferente”, sem perder a essência. Podemos entender muito bem o significado e o entendimento de “neo” à luz do termo “neoliberalismo econômico”, que significa literalmente o “novo liberalismo econômico”, mas dadas as evidências e as circunstâncias sou levado a concluir que neste caso o termo correto deveria ser algo diferente porque não se trata de “economia”, mas de aparente legalização do desperdício que se traduz por democracias na divisão das verbas públicas e numa ditadura na aplicação dos impostos. Por isso governos como o da França, Itália, Portugal, Espanha, Grécia caíram, e outros cairão ainda como produto da verificação do desperdício de verbas públicas e deficientes políticas econômicas. Pior do que isso, por cooperação com a ambição dos que detêm e manejam o capital. Se o leitor pensou que este texto é socialista, comunista, ou tem qualquer ideologia implícita, peço antecipado perdão, mas deve ter-se equivocado. É pura constatação.

 

Muito semelhante é o termo neoescravos do século XXI, relacionado com o esclavagismo, um assunto que nos vem desde os primórdios da civilização quando se agrilhoavam seres semelhantes mas que falavam língua diferente em outros locais do globo, em outras tribos, outros povos, para fazer escravos que fizessem o trabalho de graça a troco de um conforto mínimo duvidoso e local seguro para viver[1]. E muitas vezes dentro da própria tribo, grupo ou nação. Os neoescravos do século XXI não fazem “trabalhos” forçados. Mas continuam existindo a título de “cidadania democrática”, “fazer a sua parte” como cidadão, cidadã. A maioria da população não se preocupa com as contas públicas, pede a deuses que lhes dêem bons governantes: O governo lá em cima, intermediário entre deuses e humanos, os cidadãos cá em baixo como azeite sobre a água. Um bom exemplo do passado é o Império Romano onde somente patrícios, isto é, autóctones descendentes dos fundadores de Roma faziam parte do governo. Os plebeus eram descendentes de gentios, isto é, forasteiros, e além destas duas classes, havia os escravos e os clientes. Os patrícios, que faziam as leis e eram o próprio governo, eram o azeite sobre a água de todas as outras classes das quais se beneficiavam para recolher impostos, aproveitar-se do trabalho. Em troca dava muito pouca qualidade de vida, porque o dinheiro era gasto em corrupção e campanhas bélicas para engrandecer o Estado. Mas que estado engrandecia? Evidentemente que o “Estado neopatrício”.

 

Nos dias de hoje muitos governos do mundo, senão todos, ou com raras exceções como nos países nórdicos, Islândia e Suíça, já não são os patrícios que governam e constituem o poder, mas um grupo chamado governo, que decide em nome dos cidadãos e escravos, coleta impostos, aplica como quer, corrompe como acredita ser necessário, sem a mínima hipótese de que os cidadãos os tirem do poder enquanto não terminar o mandato. Quem chega a ser eleito, normalmente com falsas promessas, e ganha seu posto no poder, contribui para a perpetuação do sistema. Governos hoje são como confrarias de amigos onde tudo se acerta sem o conhecimento público. Governo de "neopatrícios"

 

A impressão que se tem é que se trabalha para os patrões e para o Estado na condição de neoescravos, onde a democracia se resume a eleger “patrícios”. Neste aspecto, a “democracia” limitou-se a tornar iguais os plebeus, os escravos e os clientes, os explorados pelo grupo de “patrícios” a que chamamos governo democrático. Passar milhares de anos desenvolvendo a democracia e chegarmos a este ponto no século XXI é decepcionante.

 

Todos estes governos “neopatrícios” apelam para o nosso sacrifício alegando a causa pátria, o seu engrandecimento, o seu progresso. Pode entender-se sempre e quando isto represente o bem estar dos neoescravos do século XXI, mas não é o que se vê, face à quantidade destes que não têm acesso ao conhecimento nas universidades, nas escolas de segundo grau, a água tratada, a rede de esgotos, a rede de águas pluviais, a trabalho devidamente remunerado, a comida, a roupas, a serviços sociais, a saúde pública, a segurança no ir e vir diário. Paremos para pensar, porque 60% da população mundial não tem nada disto. Algo deu errado em nosso caminho para a democracia. A nova classe emergente da "neolata" aumenta em número a cada dia.

 

Talvez seja o brilho do ouro recolhido dos impostos com base em taxas fixas de impostos que enchem os cofres públicos todos os dias de todos os anos, e não um orçamento prévio de gastos, mostrado e demonstrado aos neoescravos do século XXI e sobre os quais se definam as taxas prévias de impostos de ano para ano. Para fazer cobram-se impostos. Para não fazer, os neopatrícios nem precisam cobrar. Talvez assim os neoescravos possam passar um ou outro ano afastados do sufoco dos impostos, ou pelo menos com uma pequena folga que seja para respirar.

Mas não se esqueça... Se for para fazer nada ou muito pouco, o Estado não necessita de impostos tão altos.... Basta polícia, juizes e um alfarrábio com leis, e isto não custa tanto assim.

Mas se você, leitor, tiver dúvidas, porque está confortável em sua cadeira, sua casa, leia, por favor, no link a seguir para saber se é pobre, rico ou nada disso. O amigo leitor decide! http://conscienciademocrata.no.comunidades.net/index.php?pagina=1290857238

 

Rui Rodrigues

Para leitura sobre o tema, pode também consultar:

http://www.gotquestions.org/Portugues/Biblia-escravidao.html

http://www.oit.org.br/sites/all/forced_labour/brasil/projetos/documento.php

http://exame.abril.com.br/economia/noticias/oit-traca-perfil-do-trabalho-escravo

http://www.portalbrasil.net/2006/colunas/administracao/junho_16.htm

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/direito-romano/direito-romano-7.php

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/artigos/o-que-e-cidadania.php 

 


 

[1] Efésios 6:9 Vocês, senhores, tratem seus escravos da mesma forma. Não os ameacem, uma vez que vocês sabem que o Senhor deles e de vocês está nos céus, e ele não faz diferença entre as pessoas. 

Colossenses 4:1 Senhores, dêem aos seus escravos o que é justo e direito, sabendo que vocês também têm um Senhor nos céus. 

Deuteronômio 15:12 Se seu compatriota hebreu, homem ou mulher, vender-se a você e servi-lo seis anos, no sétimo ano dê-lhe a liberdade. 

 

  • DEMOCRACIA PARTICIPATIVA, TOTAL, VERDADEIRA,
  • Como funciona a Democracia Participativa- Divulgar
  • Brasil - Esboço para nova Constituição
  • Portugal - Esboço para Nova Constituição
  • Sites sobre Democracia Participativa
  • O despertar do Norte de África-(E da humanidade?)
  • O uso de seu voto na democracia participativa
  • Tabus Sociais e a Democracia Participativa
  • Mensagem aos portugueses
  • senhores candidatos, com que cara vão pedir votos?
  • Sobre transição da Ditadura para “Democracia” e...
  • Sobre os bancos que recolhem as verbas públicas
  • O clima está mudando e as cigarras são poucas.
  • Chega de hipocrisia política- Basta!
  • A produtividade da emergente economia brasileira
  • O que esperamos nós, amantes da ética...
  • VOCÊ É RICO POBRE OU MISERÁVEL? – (Decida)
  • Cenário -2018
  • VIOLÊNCIA NO MUNDO (O que poucos admitem)
  • CAMARATE- Depoimento do ATENTADO e envolvimentos
  • Porque crise mundial não termina antes de 2018/28
  • O Brasil que queremos e a curva de Gauss
  • A crise econômica portuguesa, o fado, e a solução
  • 2011-Dívidas interna/externa de Portugal e Brasil
  • O perfil vencedor de um candidato a senador
  • Indecisões na Vida - E na política
  • A asquerosidade dos ratos de esgoto
  • Crise Mundial de 2008 – Fundamentos
  • Curdos - Síria - Bashar al-Assad
  • Intervenção do estado na democracia brasileira
  • From Russia With Love - Da Rússia com amor
  • Está lá o corpo estendido no chão
  • Crise econômica mundial e as “mudanças” políticas
  • Cuba, Fidel e o fim do Comunismo
  • Visões modernas do Socialismo no Brasil
  • Tudo bem, senhores do governo[1], roubem à vontade
  • Angola - Curiosidades sobre uma nova nação
  • A rica industria da pobreza
  • Esses Líderes de Araque
  • Homens e mulheres à frente do “seu” tempo!
  • O futuro de Portugal- Essa sociedade amorfa
  • CHINA , presente e futuro - 中国,现在和未来
  • Sem ilusões - Política e dopamina
  • Afundem o Lusitânia e outros 3 engôdos políticos
  • Crise mundial - sou paciente - Tenho paciência
  • Pressões sociais hoje – A Partilha do queijo
  • Brasil - Porque o PT perdeu as eleições – 2012
  • O Brasil de hoje - Uma opinião sem muita filosofia
  • Portugal – Como sair da crise de 2008
  • Política e vida à luz da consciência -
  • Panorama mundial - 2012.
  • O que é emigrar - Portugueses
  • Como passar em provas - Brasil - ENEM
  • O dilema do eleitor na hora de votar.
  • Vamos acabar com as guerras?
  • Os últimos condenados à morte
  • Good bye Romney!
  • Goa, Damão e Diu – Outra verdade!
  • Os neoescravos do século XXI
  • Humanidade encurralada !!!
  • Amazônia – Uma solução
  • Carta Aberta a Angela Merkel
  • Brasil fora de Ordem e de Progresso?
  • Como começa uma guerra mundial – Sinais
  • De olho em Dilma Rousseff - Reeleição jamais!
  • O Oriente Médio – momento atual e futuro.
  • Penso, então existo.
  • Economia - Um jogo de Pôquer ?
  • Lula suicidou-se!
  • Curemo-nos a nós mesmos
  • Contratos - No âmbito da administração pública
  • A necessidade da política tal como a conhecemos
  • Política- O incrível exército dos moribundos
  • Ensaio sobre a existência
  • O conflito Israel-palestino - O Cerne da Questão
  • Uma velha profissão: Políticos artistas!
  • Bento XVI, a Igreja Católica e as mudanças
  • Construindo imagens do mundo.
  • Bolsa de apostas - Quem será novo Papa
  • Consciência Planetária
  • A segunda guerra da Coréia
  • Os sete trabalhos de Francisco
  • Precisamos de um novo modelo econômico?
  • Sobre Margareth Thatcher – Conclusão póstuma.
  • Sobre os povos indígenas[1]
  • Como acabar com o terrorismo – Um processo difícil
  • A tragédia portuguesa - A verdade !
  • A ilha de Páscoa, um exemplo da sustentabilidade
  • Feminino masculino - Hatshepsut e Joana
  • O futuro político do Brasil – Sem muita filosofia.
  • Atlântida - A verdade à luz de Platão.
  • O despertar do monstro humanidade
  • Sexo e filhos
  • Conto - Manitu e Alce Pensativo
  • Caminhadas pela natureza da vida
  • Entenda-se Lula e Dilma e “seus” governos.
  • O messianismo político na América do Sul
  • A fama no tempo dos que governam.
  • Os arquivos secretos de Lula
  • Entendendo o Senhor Ministro Barbosa
  • O extraterrestre de Catités
  • Os quatro cavaleiros do Petecalipse.
  • Rumos da política portuguesa
  • RecaPiTulando o PT....
  • O livro vermelho do Crack
  • Seja sempre honesto quando procurar emprego.
  • Acredite, há um modo fácil de ser feliz neste mund
  • Tese Social - A armadilha do Destino
  • Sociedades em transformação e o Mundo Gay
  • O mendigo [1] ilustrado
  • A nobre arte de varrer e o “socialismo transnacio”
  • Razões dos movimentos de rua no Brasil 2013
  • Carta aberta ao Governo e ao Congresso Nacional
  • A JURISPRUDÊNCIA E A MORALIZAÇÃO DO BRASIL
  • Egito – uma primavera da humanidade ?
  • Senatus Populis Que Brasilis.
  • Apelo às forças armadas do Brasil
  • Uma hora de cidadão na democracia participativa.
  • O voto
  • Sete bilhões de humanos procurando governo honesto
  • O PAPA FRANCISCO QUE SE CUIDE...
  • conto - Meus professores me enganaram.
  • Se eu fosse senador
  • o Nojo....
  • Como os cidadãos podem governar por si mesmos
  • Cabum ! Preparação para nova guerra ?
  • Traição à Pátria
  • A neve de Verão (sob o ponto de vista do boi)
  • Weimar 1919 e Brasil 2013 - Um paralelo
  • Porque o Papa Francisco pede para rezar por ele
  • Venha viajar de balão. É grátis.
  • INTERVENÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS.
  • Os acordos "Direita x Esquerda" e o fosso de vácuo
  • O caso dos Pesseghini. História mal contada ?
  • Brasil em impasse político
  • O Ciclo do Comunismo - Ascensão e queda.
  • Carta Aberta ao Ministro Lewandovsky
  • O “deus tutelar” - Seus efeitos sociais e ...
  • Esboço para alterações políticas - Brasil
  • O casamento e o presidente.
  • MOTIVAÇÕES de líderes mundiais
  • Limpando o senado federal, dando-lhe ética e moral
  • protocolo e cerimonial Planalto e Casa Branca
  • O amor nos tempos do dengue.
  • Minha admiração pela "Ladeira Abaixo 10"
  • O mercado de drogas. Como combater.
  • O melhor Partido Político.
  • Já sentiu saudades de um tempo que nunca viveu?
  • Acha que o “mundo” está mudando ?
  • O ultimo encontro com Fidel Castro
  • A Política no Brasil em tons de verde e amarelo
  • O Socialismo do século XXI – Nu e cru.
  • Ucrânia – Crimeia por Guantánamo?
  • O que podemos mudar no mundo para ser mais justo?
  • A Democracia Participativa e as eleições de 2014.
  • A famigerada copa Brasil 2014 da FIFA.
  • As eleições de 2014
  • O momento político-econômico do Brasil - jan 2015
  • 2015 - Já vimos este filme antes?
  • Refletindo sobre guerras - Teremos mais uma ?
  • A Grande Esperança para a humanidade e o Ambiente
  • A Ordem é uma estrada e por ela vai um Bando...
  • Contactos
  • Translate this Page



    ONLINE
    1






     DP

    Na humanidade, o que importa é o individuo. Todo o resto da paisagem que nos cerca serve para manter o individuo. Vivemos em sociedades, cada uma com suas características e se viverem em paz entre si não teremos guerras. Parece lógico, mas ou não é lógico, ou há grupos dentro das sociedades que não entendem esta lógica. Esquecem o coletivo e olham para si mesmos querendo o mundo para si. Restringem a humanidade ao seu grupo.

    Todo o ser humano que seja verdadeiro democrata é a favor: 

    1. Dos direitos da criança
    2. Dos direitos humanos
    3. Da paz entre as sociedades e as nações
    4. Da igualdade de gêneros perante a lei e as instituições religiosas
    5. Pela liberdade de expressão em qualquer lugar
    6. Pela sustentabilidade do planeta
    7. Pela proteção da vida selvagem
    8. De rejeitar qualquer movimento ou ação terrorista
    9. De rejeitar qualquer tipo de violência
    10. De votar item por item a própria Constituição que regirá o governo
    11. De ampliar a democracia ao direito de deseleger quem perca a confiança do eleitor
    12. De ter voz decisiva nas decisões de Estado, por votação popular. 
    13. Da Justiça independente da política
    14. Da nomeação de Juízes do Supremo Tribunal e Ministros por votação popular. 
    Blog recomendado para assuntos gerais relacionados ou não com este tema: