DEMOCRACIA PARTICIPATIVA- A única verdadeira!

Os sete trabalhos de Francisco

Os sete trabalhos de Francisco

Os sete trabalhos de Francisco – Uma terrível dor de cabeça!

                                         Sua santidade o Papa Francisco

Quem tem consciência dos grandes problemas da Igreja Católica, pode avaliar o grave momento que esta igreja atravessa. O maior de todos é o da fé, do crédito que seus fiéis podem ter nela. Nos últimos anos a ajuda aos pobres tornou-se irrelevante face à sua importância e aos valores nela investidos. Esta igreja não vem sendo atacada. Está se desfazendo aos poucos: O numero de fiéis diminui, a vocação sacerdotal está sendo posta em causa face à quantidade de pedófilos em suas fileiras, o Banco do Vaticano tem problemas de lisura e está vetado de transacionar com os demais Bancos europeus, a igreja já não se pode envolver na política das nações, e finalmente, mas não os últimos problemas, o mundo evoluiu de forma a aceitar as mulheres como iguais dos homens, assim como as tendências sexuais de cada ser e a longevidade e a saúde humana dependem agora dos progressos da ciência em lidar com células tronco.  

A Igreja vem destoando de tudo isto, perdendo credibilidade, fiéis, dinheiro de esmolas e contribuições, fechada em si mesma, vivendo no paraíso e esquecendo o mundo. O Papa Francisco, recém eleito, desde o primeiro momento vem dando mostras de querer mudar este panorama. Bom sinal, antes que ser “católico” passe a ser um termo pejorativo no panorama internacional deste mundo. Os problemas que Francisco irá enfrentar podem ser resumidos nos seguintes:

 

  1. Aumentar o número de fiéis

 papisa Joana ou Papa João VIII

Fé é a grande mola que move os fiéis para os templos onde depositam as suas contribuições para a manutenção da Igreja que lhes deve devolver em fé com relativamente grande grau de “certeza” de serem recompensados. Em todas as religiões é assim. Na verdade, à luz da mente humana analisada por Sigmund Freud, é uma troca comercial: Dádivas em troca de fé e uma recomendação para os paraísos do céu, embora ninguém tenha a mínima idéia de como será esse paraíso. Cada religião tem a sua forma de tratar e entender este assunto, e não se podem jogar dados para determinar qual delas estará mais perto da verdade. No entanto, cada uma atrai seus fiéis pela idiossincrasia popular. Pregar xintoísmo no ocidente é muito difícil e pregar cristianismo na China é tanto ou mais.

Num mundo cada vez mais instruído a fé vem sendo substituída pela certeza de que se ficará cada vez mais perto do paraíso terreno se tivermos melhores condições de saúde, mais alimentos disponíveis, controlarmos melhor os fenômenos da natureza, tivermos cada vez melhor grau de instrução. Ninguém quer morrer para ir logo para o Paraíso dos céus. Em decorrência, a falta de “informação” sobre o céu, e sobre o que Deus realmente quer de nós, faz gerar a diversidade de interpretações. Em nome da fé ou do bem estar dos sacerdotes, ou remuneração por seu trabalho em nome de Deus, Francisco tem um grande problema: A fé diminui na medida do nível de instrução popular, e o ocidente se instrui mais e mais a cada dia que passa. A Net muda o perfil psicológico das populações. A ignorância reduz seus redutos.

O mundo crê cada vez menos no ilógico, que sofre de credibilidade. O grande temor da Igreja Católica no passado, tentando reduzir o conhecimento, tolhê-lo e enclausurá-lo, fez-se realidade. O conhecimento destrói mitos. A Igreja católica vive de mitos.

Precisa mudar, tornar-se mais lógica e moderna, ou perecer.

  

  1. A vocação sacerdotal e a pedofilia

 Vinde a mim as criancinhas tinha outro significado

O problema que a Igreja Católica vem enfrentando neste campo do comportamento humano se deve principalmente à castidade como demonstração de sua fidelidade ao comportamento de Cristo, mas tem raízes ainda mais profundas nas “necessidades” da igreja. Gays são mais “dóceis”, não casavam, estavam mais predispostos à “dedicação” sacerdotal. A testosterona, coisa que a Igreja não conhecia quando foi fundada, leva à violência, ao machismo, à ambição. Mas gays mantêm relações sexuais, sim, mas não “convencionais”. Querendo fazer sexo, mas estando impossibilitados pelas convenções eclesiásticas, de alguma forma esse problema afloraria. As crianças não conhecem o mundo e têm medo de quase tudo. A pressão sobre elas é enorme, e nas aldeias européias e do mundo católico, muitos padres já foram expulsos de suas paróquias, ficando estes assuntos mornos, latentes, entre paredes. Isto está acabando depois de tantos escândalos. Agora a população fala, denuncia. A Igreja terá que rever o meio onde irá buscar seus futuros sacerdotes, ou seguir Jesus que nunca disse que não mantinha relações sexuais. Pelo contrário, está patente nos evangelhos apócrifos e até nos da Bíblia que a festa do casamento, quando Jesus multiplicou o vinho, era a festa de seu próprio casamento, quando também pelas leis judaicas, deixou de chamar sua mãe Maria  como mãe e passou a chamá-la de mulher. Pelas leis judaicas a mãe perdia o filho para a nora. O filho tinha agora uma nova família.

Constantino, o imperador romano, convocou um Concílio para definir que livros iriam compor a Bíblia a exemplo da Tora, e o que neles deveria constar. Francisco pode fazer o mesmo. Uma revisão para tornar o Segundo Testamento mais verdadeiro e não provocar confusões. Para Felipe, Jesus nem ressuscitou, e nenhum deles afirma que Maria era Virgem. Ser virgem, na religião judaica da tribo de Levi, a que gera sacerdotes significava que a esposa era virgem de filho homem enquanto não tivesse um, e que o prazo máximo para ter umfilho varão era de dois anos. 

Conhecemos as histórias dos Papas do passado, e não podemos acreditar num Deus que se deixa levar por alguns Papas levianos, outros assassinos, outros ainda corruptos. Basta ler a história da própria Igreja. E da mesma forma, o sacerdote pedófilo não deveria ministrar hóstias, nem ouvir confissões para as perdoar em nome de Deus. Mas como sabermos quem são os pedófilos sem serem denunciados? Isso prova que o perdão não depende de quem o dá. Podemos pedir perdão a Deus e sermos ouvidos sem a interferência papal ou de sacerdotes.    

 

  1. A igualdade dos sexos

 Igualdade dos sexos, uma realidade desde o Gênesis

Já no Gênesis há uma clara diferenciação dos gêneros. A mulher teria sido feita a partir do homem, mas essa regra, a ser de Deus, caducou de imediato: São as mulheres que geram e não o homem, e geram tanto homens como mulheres. E como se não fosse suficiente para ficar bem clara a supremacia do homem, nos livros sagrados, a mulher é castigada em especial ficando submissa ao homem. Não... A mulher já não fica submissa ao homem. Ou os livros estão equivocados por força do equivoco de quem os redigiu segundo o conhecimento que tinham na época – e não por inspiração divina – ou faltou que dissessem algo: Que foi dado ao homem e á mulher o poder de mudar as coisas deste mundo, por serem também, e todos, filhos de Deus. Ao que parece, esta propriedade humana foi escamoteada dos filhos de Deus e atribuída aos Papas. Papas são falíveis como qualquer ser humano.

Qual o seria o sexo de Deus, se Deus não foi gerado nem gera descendência?

A igualdade social e moral dos sexos foi uma catástrofe para a Igreja Católica, que sempre descriminou as mulheres, alijando-as do sacerdócio. Servem para freiras e para limpar e arrumar as sacristias, assim como, para redimir os seus “pecados”, deixarem as gordas verbas disponíveis para a Igreja no leito de morte. Servem também para serem “santas” e lhes fazerem estátuas como compensação pelos atos discriminatórios.  As mulheres sabem disso. Não estão satisfeitas com isto. Conquistar-lhes a fé parece ser cada vez mais difícil. Deve conquistar-lhes a confiança. Mas para isso tem que mudar. O mundo não muda. O mundo segue o seu caminho. Quem puder que acompanhe... Somos humanos. Que todos sejam tratados como iguais. Se os dogmas, preceitos e conceitos não puderem ser mudados pela Igreja, ela continuará a perder fiéis.

  1. A ciência, a política e a Igreja.

 A Inquisição tortura mulheres por bruxaria

A ciência e a política evoluem segundo as características de nossa constituição animal, seguindo as leis que foram atribuídas a este universo. São leis de Deus. Não exatamente o Deus da Igreja Católica, mas do Deus Único que não conhecemos, nunca ninguém viu, o construtor deste e de outros universos. Ele é a verdade. Suas leis regem nossas vidas. Deus age a cada instante em seu Reino, não de forma direta, mas através de suas leis aqui impressas, e de nosso livre arbítrio. Evoluímos tanto que estamos, para bem ou para mal, alterando o mundo. A Igreja Católica tem-se atido a conceitos antigos que foram gerados numa humanidade ignorante de onde realmente estava, como funciona este planeta, e nem sabiam ainda o que é um planeta. Jesus Cristo não sabia o que era o DNA... Não sabia que se poderia construir veículos e muito menos um papamóvel... Não sabia que se podiam fazer cesarianas, nem que se podia evitar o nascimento de filhos usando preservativos. Jesus Cristo achava que os demônios podiam ser expulsos do espírito dos doentes, sem saber que se tratava de histerismo ou demência, coisa que só depois de Sigmund Freud se pôde tratar com conversas de especialistas e meia dúzia de pírulas. Nem imaginava que um dia todos os seres humanos pudessem conversar ao mesmo tempo e trocar idéias através de uma rede social “mágica”, vendo-se uns aos outros em fotos. E muito menos que se pudesse “fotografar” alguém. Precisaria de algo mais para ser Deus. Assaz bastante.

Jesus Cristo foi um excelente ser humano, certamente dos raros e únicos a seu nível, que já passaram por este mundo.

Neste estado de mundo, de comunicações instantâneas, o que a Igreja pode esconder? Praticamente nada. Sabemos todos quando os sacerdotes e dirigentes se omitem em suas práticas, quando falam demais, quando se metem onde não deveriam meter-se e quando não interferem quando deveriam interferir. Tudo isto compõe os cristais com que se constrói o templo da credibilidade numa igreja. No passado, eram os religiosos que nos julgavam. O tempo mudou e hoje somos nós, os fiéis, quem julgamos a igreja e os religiosos.

Francisco terá muito trabalho para se adaptar a esta evolução da humanidade, e principalmente a uma igreja que tem de passar de dirigente da moral e da fé, a ser dirigida pela moral e pela fé. Nestes quesitos, a Igreja Apostólica Romana já errou muito. Há muito que refazer. Talvez a primeira delas seja ajudar a refazer os muros do templo de Salomão. Era a casa de Deus, do Pai de Jesus. Jesus sempre honrou o Pai. Porque não continuarmos a honrar o Pai?   

O povo muçulmano foi atacado injustamente no passado para “libertar” a Terra Santa. Morreram milhões de seres humanos nessa luta fratricida, porque Deus, o Pai, é exatamente o mesmo, e quem é Alah, senão D’Us. Deus? Talvez seja a hora de reparar os danos e melhorar a moral e a ética deste mundo. É este mundo que tem que ser cuidado, para que possa atingir o outro, o do além, o do paraíso. Esperamos notícias do paraíso de lá enquanto aguardamos alguém que possa transformar este planeta num paraíso.

 

  1. A Igreja e os ensinamentos de Jesus

Pregação de Jesus na Montanha 

No seio da Igreja católica, retirou-se a devoção ao Deus de Jesus e adora-se o filho como se fossem uma e a mesma entidade. Jesus nunca disse isso. Na cruz, moribundo, perguntou-se porque o Pai o havia abandonado. O Pai não o abandonou. Foi Constantino que fundou a Igreja Católica Romana. Um romano que queria facilitar o seu governo através de uma religião única, uma mais forte e que estava tomando conta de seu Império: A do cristianismo primitivo. Fundou-a. Não foi Pedro. Pedro, Paulo e os apóstolos eram líderes de grupos que ofereciam mais do que os deuses romanos: O paraíso nos céus. A fé comprou a religião romana. Os deuses romanos não ofereciam nada disso. Nem as demais religiões. O que Jesus esperava era a vitória final da Ordem sobre o Caos, uma mudança radical na desordem do mundo. Era o Messias. Continuamos por aqui na esperança de que um dia a Ordem se imponha ao Caos na política, no comércio, no comportamento humano. Nas religiões modernas esse é o caminho. Ninguém chegará ao Pai se não trilhar esse caminho: O da prevalência das sociedades sobre as decisões unilaterais dos governos que oprimem mesmo dando shows grátis em praças públicas, enganando a seu modo, compensando sem compensar nada, a não ser propiciando alegrias momentâneas e fúteis.

O que pregava Jesus que visitava as sinagogas e nelas pregava, mas evitava ir ao Templo de seu Pai? O que pregava Jesus cujo templo por tantas vezes foi a paisagem pura da montanha, como no seu sermão, falando para as multidões sobre o advento do novo Reino, vestindo simples sandálias e uma túnica usada, limpa e simples? Um doce para quem descobrir qual o nome do Banco de Jesus onde depositava as suas moedas. Não se pode, sem perda de credibilidade, tentar vender um lugar no céu, em troca de confissões, moedas, notas, heranças, e transações bancárias, andando de papamóvel, tendo uma guarda suiçã para garantir a segurança, morando em palácio. A impressão que se tem é que a Igreja Católica aprendeu mais sobre o materialismo selvagem do que dos ensinamentos de Cristo. Da mesma forma os apóstolos fugiram dele e se esconderam no anonimato. Os apóstolos não eram Jesus, não o entendiam, como consta nos livros, e cooperaram para fundar uma nova igreja, porque os adeptos largavam tudo o que tinham para ir para o céu e assim enriqueceram. Morreram num inferno caótico de vida, e não temos notícias deles. Perderam o que tinham nesta vida, para não se sabe o quê.

São poucos e cada vez menos os que largam tudo para seguir ricos senhores que abrem Bancos para gerir as riquezas de Deus. Francisco tem que se perguntar o que Deus fará com tanto dinheiro, tantas obras de arte, tantas propriedades espalhadas pelo mundo, um mundo onde floresce a pobreza: Benemerência ou espalhafatosos aparatos de riqueza, que chegam a parecer ridículos para quem lê e entende o segundo testamento?

 

  1. O Banco do Vaticano

 Banco do Vaticano e lavagem de dinheiro

Banco gere dinheiro e gera dinheiro. É algo muito terreno. Para quem já disse no passado: larguem tudo e sigam-me, não faz o mínimo sentido. Há que haver coerência no largar tudo e seguir Jesus. O que o Banco do Vaticano faz hoje, poderia fazê-lo abrindo contas em Bancos locais onde houver paróquias e uma conta central. Mas entende-se que possa haver segredos de Estado. Segredos. Jesus tinha Judas como tesoureiro e nenhum banco. Sinal que ele e os apóstolos viviam de parcas moedas. É esta igreja, a dos pobres, mas com moral e ética, que faz falta neste mundo. Uma verdadeira Igreja de Jesus, que use as doações para distribuir pelos necessitados, porque sempre sobrará para se alimentarem e vestirem. O Banco do Vaticano é a negação das prédicas de Jesus, de suas parábolas, de sua vida.

Lutero já falou sobre isso, mas os seus seguidores também não o entenderam. Sócios nos negócios ou nas idéias são sempre uma dor de cabeça.  As transações bancárias, a cobrança dos juros, a aplicação de verbas, a sobrevivência no mercado, o uso de métodos escusos no mundo dos negócios, não podem estar de acordo com o "Dai a Deus o que é de Deus e a César o que é de César". Uma igreja rica pode servir aos ricos, nas se for admiradora de Robin Wood distribui pelos pobres. O Vaticano acumula riquezas e dá migalhas aos necessitados.

Francisco tem uma enorme dor de cabeça!

Há sócios no Banco do Vaticano. Talvez a primeira coisa a fazer seja verificar o enriquecimento dos Bispos, Arcebispos, Cardeais, chafurdar nas emissões de seus cheques, saber o que e quem foi beneficiado, seus padrões de vida, seus gastos, seus salários. Então se terá a medida de sua fé.

Terão todas as parábolas de Jesus sido jogadas sobre as pedras e não germinaram?

 

  1. O mundo moderno

Muitos pobres e poucos ricos como no tempo de Jesus 

Jesus dizia que o fim estava próximo. Não estava. Ou melhor, estava e não estava. O fim do Império Romano estava próximo, sim. O fim de Israel como país independente também, mas a Ordem não substituiu o Caos. O Reino de Deus não chegou, e já se passaram mais de dois mil anos. O Caos, sob uma capa de aparente ordem continua imperando num mundo desordenado. Há mais pobres e miseráveis do que no tempo de Jesus, talvez mesmo na proporcionalidade entre ricos e pobres. A fé e as preces, mesmo em uníssono pelas multidões ao redor do mundo não mudam este estado de coisas. É preciso algo que efetivamente mude tudo o que deve ser mudado. A grande operadora desse milagre será a própria humanidade. Efetivamente Deus não se imiscui em nossas vidas. Ou temos mérito ou não temos mérito próprio. Se o mérito não fosse importante, Deus vinha à Terra e nos impunha a Ordem que Jesus não conseguiu impor. É a Igreja que deve apoiar a humanidade e não esta à Igreja.

Se a Igreja Católica seguir a humanidade, estará ligada com o povo de Deus. Se remar em contrário, jazerá no pó.

Em verdade, em verdade vos digo, que tudo o que a humanidade ligar na Terra será ligado nos céus e tudo o que desligar na Terra será desligado nos céus.

 

Rui Rodrigues  

Em 05 de maio de 2013, postei no facebook a propósito da excomunhão do padre Beto Daniel:


Padre Beto Daniel


Papa excomunga padre católico

(em 01 de maio de 2013)

 

O movimento gay cresce no mundo. Não há a mínima dúvida!...

 

Pode pensar-se que, de repente, todo mundo, homens e mulheres resolveram ser gays. Deve ser este o ponto de vista da igreja católica e do Papa, evidentemente não atualizada, desprezando numa tacada só a história, a ciência e a realidade: A  História nos diz que gays de ambos os sexos sempre existiram e uma enorme porção deles na própria igreja católica; a ciência nos diz que nem sempre a aparência e a forma do corpo está de acordo com a mente e que a natureza produz sempre indivíduos, numa curva de Gauss, em que o setor central pode ser considerado como “normal”, e os extremos fora da normalidade, sem, contudo, serem anormais; e a realidade nos diz que, com menos repressão, cada um pode ser como quer ser sem a mínima anormalidade.

 

A igreja católica continua achando que o Papa é infalível, que ela é infalível, e que representa Deus na terra. Ou seja, a natureza de Deus faz os indivíduos como por aqui, na terra mesmo se vêm, mas a igreja nega Deus.

 

Deus é como é através da natureza que fez, a humanidade é como é por ser da natureza de Deus, e quem tem que mudar é a igreja católica que já errou muito ao longo da história, é incompatível com a ciência, e está fora da realidade.

 

Abre o olho, Francisco

 

Rui Rodrigues

 

Ps- Não sou homossexual. Sou orgulhosamente hétero,  mas também posso e falo com Deus. Qualquer um pode falar com Deus, mesmo sendo gay. Está nos livros sagrados.


 

 

 

 

 

 

  • DEMOCRACIA PARTICIPATIVA, TOTAL, VERDADEIRA,
  • Como funciona a Democracia Participativa- Divulgar
  • Brasil - Esboço para nova Constituição
  • Portugal - Esboço para Nova Constituição
  • Sites sobre Democracia Participativa
  • O despertar do Norte de África-(E da humanidade?)
  • O uso de seu voto na democracia participativa
  • Tabus Sociais e a Democracia Participativa
  • Mensagem aos portugueses
  • senhores candidatos, com que cara vão pedir votos?
  • Sobre transição da Ditadura para “Democracia” e...
  • Sobre os bancos que recolhem as verbas públicas
  • O clima está mudando e as cigarras são poucas.
  • Chega de hipocrisia política- Basta!
  • A produtividade da emergente economia brasileira
  • O que esperamos nós, amantes da ética...
  • VOCÊ É RICO POBRE OU MISERÁVEL? – (Decida)
  • Cenário -2018
  • VIOLÊNCIA NO MUNDO (O que poucos admitem)
  • CAMARATE- Depoimento do ATENTADO e envolvimentos
  • Porque crise mundial não termina antes de 2018/28
  • O Brasil que queremos e a curva de Gauss
  • A crise econômica portuguesa, o fado, e a solução
  • 2011-Dívidas interna/externa de Portugal e Brasil
  • O perfil vencedor de um candidato a senador
  • Indecisões na Vida - E na política
  • A asquerosidade dos ratos de esgoto
  • Crise Mundial de 2008 – Fundamentos
  • Curdos - Síria - Bashar al-Assad
  • Intervenção do estado na democracia brasileira
  • From Russia With Love - Da Rússia com amor
  • Está lá o corpo estendido no chão
  • Crise econômica mundial e as “mudanças” políticas
  • Cuba, Fidel e o fim do Comunismo
  • Visões modernas do Socialismo no Brasil
  • Tudo bem, senhores do governo[1], roubem à vontade
  • Angola - Curiosidades sobre uma nova nação
  • A rica industria da pobreza
  • Esses Líderes de Araque
  • Homens e mulheres à frente do “seu” tempo!
  • O futuro de Portugal- Essa sociedade amorfa
  • CHINA , presente e futuro - 中国,现在和未来
  • Sem ilusões - Política e dopamina
  • Afundem o Lusitânia e outros 3 engôdos políticos
  • Crise mundial - sou paciente - Tenho paciência
  • Pressões sociais hoje – A Partilha do queijo
  • Brasil - Porque o PT perdeu as eleições – 2012
  • O Brasil de hoje - Uma opinião sem muita filosofia
  • Portugal – Como sair da crise de 2008
  • Política e vida à luz da consciência -
  • Panorama mundial - 2012.
  • O que é emigrar - Portugueses
  • Como passar em provas - Brasil - ENEM
  • O dilema do eleitor na hora de votar.
  • Vamos acabar com as guerras?
  • Os últimos condenados à morte
  • Good bye Romney!
  • Goa, Damão e Diu – Outra verdade!
  • Os neoescravos do século XXI
  • Humanidade encurralada !!!
  • Amazônia – Uma solução
  • Carta Aberta a Angela Merkel
  • Brasil fora de Ordem e de Progresso?
  • Como começa uma guerra mundial – Sinais
  • De olho em Dilma Rousseff - Reeleição jamais!
  • O Oriente Médio – momento atual e futuro.
  • Penso, então existo.
  • Economia - Um jogo de Pôquer ?
  • Lula suicidou-se!
  • Curemo-nos a nós mesmos
  • Contratos - No âmbito da administração pública
  • A necessidade da política tal como a conhecemos
  • Política- O incrível exército dos moribundos
  • Ensaio sobre a existência
  • O conflito Israel-palestino - O Cerne da Questão
  • Uma velha profissão: Políticos artistas!
  • Bento XVI, a Igreja Católica e as mudanças
  • Construindo imagens do mundo.
  • Bolsa de apostas - Quem será novo Papa
  • Consciência Planetária
  • A segunda guerra da Coréia
  • Os sete trabalhos de Francisco
  • Precisamos de um novo modelo econômico?
  • Sobre Margareth Thatcher – Conclusão póstuma.
  • Sobre os povos indígenas[1]
  • Como acabar com o terrorismo – Um processo difícil
  • A tragédia portuguesa - A verdade !
  • A ilha de Páscoa, um exemplo da sustentabilidade
  • Feminino masculino - Hatshepsut e Joana
  • O futuro político do Brasil – Sem muita filosofia.
  • Atlântida - A verdade à luz de Platão.
  • O despertar do monstro humanidade
  • Sexo e filhos
  • Conto - Manitu e Alce Pensativo
  • Caminhadas pela natureza da vida
  • Entenda-se Lula e Dilma e “seus” governos.
  • O messianismo político na América do Sul
  • A fama no tempo dos que governam.
  • Os arquivos secretos de Lula
  • Entendendo o Senhor Ministro Barbosa
  • O extraterrestre de Catités
  • Os quatro cavaleiros do Petecalipse.
  • Rumos da política portuguesa
  • RecaPiTulando o PT....
  • O livro vermelho do Crack
  • Seja sempre honesto quando procurar emprego.
  • Acredite, há um modo fácil de ser feliz neste mund
  • Tese Social - A armadilha do Destino
  • Sociedades em transformação e o Mundo Gay
  • O mendigo [1] ilustrado
  • A nobre arte de varrer e o “socialismo transnacio”
  • Razões dos movimentos de rua no Brasil 2013
  • Carta aberta ao Governo e ao Congresso Nacional
  • A JURISPRUDÊNCIA E A MORALIZAÇÃO DO BRASIL
  • Egito – uma primavera da humanidade ?
  • Senatus Populis Que Brasilis.
  • Apelo às forças armadas do Brasil
  • Uma hora de cidadão na democracia participativa.
  • O voto
  • Sete bilhões de humanos procurando governo honesto
  • O PAPA FRANCISCO QUE SE CUIDE...
  • conto - Meus professores me enganaram.
  • Se eu fosse senador
  • o Nojo....
  • Como os cidadãos podem governar por si mesmos
  • Cabum ! Preparação para nova guerra ?
  • Traição à Pátria
  • A neve de Verão (sob o ponto de vista do boi)
  • Weimar 1919 e Brasil 2013 - Um paralelo
  • Porque o Papa Francisco pede para rezar por ele
  • Venha viajar de balão. É grátis.
  • INTERVENÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS.
  • Os acordos "Direita x Esquerda" e o fosso de vácuo
  • O caso dos Pesseghini. História mal contada ?
  • Brasil em impasse político
  • O Ciclo do Comunismo - Ascensão e queda.
  • Carta Aberta ao Ministro Lewandovsky
  • O “deus tutelar” - Seus efeitos sociais e ...
  • Esboço para alterações políticas - Brasil
  • O casamento e o presidente.
  • MOTIVAÇÕES de líderes mundiais
  • Limpando o senado federal, dando-lhe ética e moral
  • protocolo e cerimonial Planalto e Casa Branca
  • O amor nos tempos do dengue.
  • Minha admiração pela "Ladeira Abaixo 10"
  • O mercado de drogas. Como combater.
  • O melhor Partido Político.
  • Já sentiu saudades de um tempo que nunca viveu?
  • Acha que o “mundo” está mudando ?
  • O ultimo encontro com Fidel Castro
  • A Política no Brasil em tons de verde e amarelo
  • O Socialismo do século XXI – Nu e cru.
  • Ucrânia – Crimeia por Guantánamo?
  • O que podemos mudar no mundo para ser mais justo?
  • A Democracia Participativa e as eleições de 2014.
  • A famigerada copa Brasil 2014 da FIFA.
  • As eleições de 2014
  • O momento político-econômico do Brasil - jan 2015
  • 2015 - Já vimos este filme antes?
  • Refletindo sobre guerras - Teremos mais uma ?
  • A Grande Esperança para a humanidade e o Ambiente
  • A Ordem é uma estrada e por ela vai um Bando...
  • Contactos
  • Translate this Page



    ONLINE
    1






     DP

    Na humanidade, o que importa é o individuo. Todo o resto da paisagem que nos cerca serve para manter o individuo. Vivemos em sociedades, cada uma com suas características e se viverem em paz entre si não teremos guerras. Parece lógico, mas ou não é lógico, ou há grupos dentro das sociedades que não entendem esta lógica. Esquecem o coletivo e olham para si mesmos querendo o mundo para si. Restringem a humanidade ao seu grupo.

    Todo o ser humano que seja verdadeiro democrata é a favor: 

    1. Dos direitos da criança
    2. Dos direitos humanos
    3. Da paz entre as sociedades e as nações
    4. Da igualdade de gêneros perante a lei e as instituições religiosas
    5. Pela liberdade de expressão em qualquer lugar
    6. Pela sustentabilidade do planeta
    7. Pela proteção da vida selvagem
    8. De rejeitar qualquer movimento ou ação terrorista
    9. De rejeitar qualquer tipo de violência
    10. De votar item por item a própria Constituição que regirá o governo
    11. De ampliar a democracia ao direito de deseleger quem perca a confiança do eleitor
    12. De ter voz decisiva nas decisões de Estado, por votação popular. 
    13. Da Justiça independente da política
    14. Da nomeação de Juízes do Supremo Tribunal e Ministros por votação popular. 
    Blog recomendado para assuntos gerais relacionados ou não com este tema: