DEMOCRACIA PARTICIPATIVA- A única verdadeira!

Penso, então existo.

Penso, então existo.

Sem poder pensar para quê existir ?

“Penso, logo existo”.
 
 
 
Como poderíamos aceitar que alguma entidade nos proíba ou limite o pensar sem que, imediatamente, temamos por nossa existência?  Que entidades seriam essas que poderiam pensar em limitar-nos o pensamento se elas também “pensam”?
 
Não é difícil deduzir que, nesse caso, o que existiria seria uma divergência na forma de pensar. Parece ser isso o que acontece em termos de religiões – todas elas – e a ciência. No entanto, enquanto a ciência se apóia em fatos matemáticos, físicos, químicos, e evidencias, seguindo teorias e abandonando-as quando não explicam a nossa existência, as religiões baseiam-se em livros escritos há milhares de anos por pessoas que, a pretexto de terem tido inspiração divina, não tinham os conhecimentos que temos hoje. Mas está em causa, também, a inspiração divina. Afinal, são tantas as religiões que já imperaram na humanidade no passado e que já jazem no pó, e tantas as que ainda existem, cada qual com seus livros sagrados mostrando deuses que dizem ser “único” mas que se interpreta de forma tão diferente, que, excluindo os aspectos sociais de “ter” que fazer parte de uma religião, fica difícil escolher em qual “deus” acreditar, ou que livro sagrado contém mais verdades sobre seja o que for. De modo geral, cada religião se julga melhor do que a outra, assim como nações, regiões, partidos políticos e torcidas de times de futebol.
 
Chega a parecer, para não se afirmar, que “religião” é um assunto social idiossincrático, transmitido culturalmente, por tradição, cuja adesão se dá desde criança por ensinamentos, não sendo possível a cada criança negar sua adesão por força das circunstâncias.
 
Têm sido os nossos cérebros humanos, dos que se têm preocupado ao longo dos séculos de civilização, que descobriram a matemática começando pela soma e subtração, a qual serviu de pilar para a descoberta da física e da química. Descobriu-se, e isto é uma verdade insofismável, que todo o universo conhecido se rege por leis físicas e químicas suportadas pela matemática. Admitindo que não houvesse até hoje nenhuma religião e aparecesse um profeta, possivelmente diria:
 
- Deus fez o Universo por sua vontade, segundo as suas leis da física, da matemática, da química e da biologia, quando provocou o Big-Bang e nele as imprimiu.
 
Evolução do universo 
 
A tradição levaria essa fé por milhares de anos. Adeptos fundariam uma igreja após a sua morte, por fé ou por ambição, e passados anos haveria dissidências e novas religiões se formariam. Apareceriam novos profetas para novas religiões. Pensando num futuro ainda mais distante, estes novos profetas e aquele primeiro seriam considerados ignorantes pela nova leva de profetas do futuro, agora mais instruídos após novas descobertas da matemática, da física, da química e da biologia. As religiões acompanham a ciência. Os magos (físicos) do faraó conseguiram reproduzir algumas pragas iguais às de Moisés. Sacerdotes judeus fizeram curas iguais às de Jesus. Com 80.000 visitantes por mês à gruta de Lourdes na França, ao longo de décadas, apenas 66 milagres foram confirmados, e nenhum deles ressuscitou alguém, refez uma perna perdida em acidente, regenerou os movimentos de tetraplégicos. Em algumas TVs no Brasil escutam-se notícias de “milagres” todos os dias, mas não de regeneração de membros, como se quem tiver uma perna extirpada não faça parte das atenções de Jesus, sendo, portanto descriminados.
 
E voltamos ao inicio de raciocinar sobre se o Universo faz parte da Obra de Deus ou apareceu por acaso, mas não podemos raciocinar sobre nenhum dos livros sagrados religiosos, mas sobre todos, porque todos interpretam Deus de forma diferente. Sendo assim, Deus, a ser único, não pode ser nenhum daqueles e tem que ser diferente. Não sendo único, temos um grande problema: Quem os comanda e é o Deus dos deuses? 

Galáxias
 
Sendo assim, temos o Big-Bang e um Deus Único – que tem interpretação diferente das que conhecemos – e precisamos definir se o Big-Bang foi ou não uma conseqüência divina ou se poderia ter aparecido por acaso. Não que realmente precisemos, mas acreditamos que seria bom se tivéssemos uma definição. Somos uma humanidade curiosa que gostamos de pensar e, logo, de existir. Se não pensarmos, acreditamos que seriamos iguais aos outros animais que conhecemos, os quais não parecem estar preocupados com a existência e suas causas.
 
É fato que as leis da física que conhecemos não se aplicam ao primeiro instante do Big-bang. Aplicam-se apenas a partir de algo como 10 elevado a -37 segundos, ou seja, 0,00000000000000000000000000000000000001 segundos. Entre 0 (zero) segundos e este tempo, ou há leis da física que não conhecemos ainda, ou foi nesse período, ou antes, que Deus teria dado origem ao Big-bang ou o adaptado para que pudesse conter vida tal como a conhecemos. Se o Universo não tivesse sido criado para a vida, seríamos uma conseqüência aleatória de suas leis, e teríamos outro grande problema: Deus existiria, mas nossa existência não teria sido por sua opção determinada. Deus teria intervido na formação do Universo e depois se teria retirado, deixando-o entregue a suas próprias leis que tudo comandam por si só. 

Mas apenas esta forma simplista de analise não basta para definir se Deus interferiu ou não no Big-bang, ou para determinar se Deus existe ou não. Temos que nos debruçar sobre as leis da física, da matemática, da química, da biologia, e, principalmente, nos fixarmos na quantidade de leis que sabemos hoje serem absolutamente válidas neste universo.
 
A pergunta é: Que fatores determinariam um universo com tantas leis interligadas, que explicam, definitivamente, o Universo em que vivemos? O que a teoria das probabilidades nos diz é que, quer em função da “densidade crítica” do universo que no inicio do Big-Bang se aproximou de 1 (um) com incríveis 15 casas decimais, quer pela totalidade daquelas leis existir e interagirem de forma a explicar este universo, a probabilidade de existir o Universo e conter a vida que contém, seria como tentar equilibrar um lápis apontado em pé sem o segurar. Poderíamos ficar a vida inteira tentando e não conseguiríamos. 

O nosso planeta que é de todos
 
Diz a Física quântica que o falso vácuo – de onde surgem os universos - é metastável, isto é, seu tempo médio de vida é tão curto, que se esperarmos alguns segundos veremos um big-bang aparecer, mas isto nos remete exatamente para o ponto original com umas perguntas adicionais:
 
- Estaria Deus no falso vácuo, teria Deus feito o falso vácuo, ou o falso vácuo é parte de algo ainda muito maior?
 
Ainda que não tenhamos a certeza da existência de Deus – afinal ainda não O vimos ou  falando-nos – acreditar em sua existência é absolutamente plausível. Mas já podemos ter certeza, também absoluta, que somente por acaso alguma das religiões que conhecemos O tenham descrito como realmente deve ser. E a probabilidade de o ter descrito exatamente é tão pequena ou ainda menor do que a probabilidade de um big-bang dar origem à vida tal como a conhecemos.
 
Rui Rodrigues
  • DEMOCRACIA PARTICIPATIVA, TOTAL, VERDADEIRA,
  • Como funciona a Democracia Participativa- Divulgar
  • Brasil - Esboço para nova Constituição
  • Portugal - Esboço para Nova Constituição
  • Sites sobre Democracia Participativa
  • O despertar do Norte de África-(E da humanidade?)
  • O uso de seu voto na democracia participativa
  • Tabus Sociais e a Democracia Participativa
  • Mensagem aos portugueses
  • senhores candidatos, com que cara vão pedir votos?
  • Sobre transição da Ditadura para “Democracia” e...
  • Sobre os bancos que recolhem as verbas públicas
  • O clima está mudando e as cigarras são poucas.
  • Chega de hipocrisia política- Basta!
  • A produtividade da emergente economia brasileira
  • O que esperamos nós, amantes da ética...
  • VOCÊ É RICO POBRE OU MISERÁVEL? – (Decida)
  • Cenário -2018
  • VIOLÊNCIA NO MUNDO (O que poucos admitem)
  • CAMARATE- Depoimento do ATENTADO e envolvimentos
  • Porque crise mundial não termina antes de 2018/28
  • O Brasil que queremos e a curva de Gauss
  • A crise econômica portuguesa, o fado, e a solução
  • 2011-Dívidas interna/externa de Portugal e Brasil
  • O perfil vencedor de um candidato a senador
  • Indecisões na Vida - E na política
  • A asquerosidade dos ratos de esgoto
  • Crise Mundial de 2008 – Fundamentos
  • Curdos - Síria - Bashar al-Assad
  • Intervenção do estado na democracia brasileira
  • From Russia With Love - Da Rússia com amor
  • Está lá o corpo estendido no chão
  • Crise econômica mundial e as “mudanças” políticas
  • Cuba, Fidel e o fim do Comunismo
  • Visões modernas do Socialismo no Brasil
  • Tudo bem, senhores do governo[1], roubem à vontade
  • Angola - Curiosidades sobre uma nova nação
  • A rica industria da pobreza
  • Esses Líderes de Araque
  • Homens e mulheres à frente do “seu” tempo!
  • O futuro de Portugal- Essa sociedade amorfa
  • CHINA , presente e futuro - 中国,现在和未来
  • Sem ilusões - Política e dopamina
  • Afundem o Lusitânia e outros 3 engôdos políticos
  • Crise mundial - sou paciente - Tenho paciência
  • Pressões sociais hoje – A Partilha do queijo
  • Brasil - Porque o PT perdeu as eleições – 2012
  • O Brasil de hoje - Uma opinião sem muita filosofia
  • Portugal – Como sair da crise de 2008
  • Política e vida à luz da consciência -
  • Panorama mundial - 2012.
  • O que é emigrar - Portugueses
  • Como passar em provas - Brasil - ENEM
  • O dilema do eleitor na hora de votar.
  • Vamos acabar com as guerras?
  • Os últimos condenados à morte
  • Good bye Romney!
  • Goa, Damão e Diu – Outra verdade!
  • Os neoescravos do século XXI
  • Humanidade encurralada !!!
  • Amazônia – Uma solução
  • Carta Aberta a Angela Merkel
  • Brasil fora de Ordem e de Progresso?
  • Como começa uma guerra mundial – Sinais
  • De olho em Dilma Rousseff - Reeleição jamais!
  • O Oriente Médio – momento atual e futuro.
  • Penso, então existo.
  • Economia - Um jogo de Pôquer ?
  • Lula suicidou-se!
  • Curemo-nos a nós mesmos
  • Contratos - No âmbito da administração pública
  • A necessidade da política tal como a conhecemos
  • Política- O incrível exército dos moribundos
  • Ensaio sobre a existência
  • O conflito Israel-palestino - O Cerne da Questão
  • Uma velha profissão: Políticos artistas!
  • Bento XVI, a Igreja Católica e as mudanças
  • Construindo imagens do mundo.
  • Bolsa de apostas - Quem será novo Papa
  • Consciência Planetária
  • A segunda guerra da Coréia
  • Os sete trabalhos de Francisco
  • Precisamos de um novo modelo econômico?
  • Sobre Margareth Thatcher – Conclusão póstuma.
  • Sobre os povos indígenas[1]
  • Como acabar com o terrorismo – Um processo difícil
  • A tragédia portuguesa - A verdade !
  • A ilha de Páscoa, um exemplo da sustentabilidade
  • Feminino masculino - Hatshepsut e Joana
  • O futuro político do Brasil – Sem muita filosofia.
  • Atlântida - A verdade à luz de Platão.
  • O despertar do monstro humanidade
  • Sexo e filhos
  • Conto - Manitu e Alce Pensativo
  • Caminhadas pela natureza da vida
  • Entenda-se Lula e Dilma e “seus” governos.
  • O messianismo político na América do Sul
  • A fama no tempo dos que governam.
  • Os arquivos secretos de Lula
  • Entendendo o Senhor Ministro Barbosa
  • O extraterrestre de Catités
  • Os quatro cavaleiros do Petecalipse.
  • Rumos da política portuguesa
  • RecaPiTulando o PT....
  • O livro vermelho do Crack
  • Seja sempre honesto quando procurar emprego.
  • Acredite, há um modo fácil de ser feliz neste mund
  • Tese Social - A armadilha do Destino
  • Sociedades em transformação e o Mundo Gay
  • O mendigo [1] ilustrado
  • A nobre arte de varrer e o “socialismo transnacio”
  • Razões dos movimentos de rua no Brasil 2013
  • Carta aberta ao Governo e ao Congresso Nacional
  • A JURISPRUDÊNCIA E A MORALIZAÇÃO DO BRASIL
  • Egito – uma primavera da humanidade ?
  • Senatus Populis Que Brasilis.
  • Apelo às forças armadas do Brasil
  • Uma hora de cidadão na democracia participativa.
  • O voto
  • Sete bilhões de humanos procurando governo honesto
  • O PAPA FRANCISCO QUE SE CUIDE...
  • conto - Meus professores me enganaram.
  • Se eu fosse senador
  • o Nojo....
  • Como os cidadãos podem governar por si mesmos
  • Cabum ! Preparação para nova guerra ?
  • Traição à Pátria
  • A neve de Verão (sob o ponto de vista do boi)
  • Weimar 1919 e Brasil 2013 - Um paralelo
  • Porque o Papa Francisco pede para rezar por ele
  • Venha viajar de balão. É grátis.
  • INTERVENÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS.
  • Os acordos "Direita x Esquerda" e o fosso de vácuo
  • O caso dos Pesseghini. História mal contada ?
  • Brasil em impasse político
  • O Ciclo do Comunismo - Ascensão e queda.
  • Carta Aberta ao Ministro Lewandovsky
  • O “deus tutelar” - Seus efeitos sociais e ...
  • Esboço para alterações políticas - Brasil
  • O casamento e o presidente.
  • MOTIVAÇÕES de líderes mundiais
  • Limpando o senado federal, dando-lhe ética e moral
  • protocolo e cerimonial Planalto e Casa Branca
  • O amor nos tempos do dengue.
  • Minha admiração pela "Ladeira Abaixo 10"
  • O mercado de drogas. Como combater.
  • O melhor Partido Político.
  • Já sentiu saudades de um tempo que nunca viveu?
  • Acha que o “mundo” está mudando ?
  • O ultimo encontro com Fidel Castro
  • A Política no Brasil em tons de verde e amarelo
  • O Socialismo do século XXI – Nu e cru.
  • Ucrânia – Crimeia por Guantánamo?
  • O que podemos mudar no mundo para ser mais justo?
  • A Democracia Participativa e as eleições de 2014.
  • A famigerada copa Brasil 2014 da FIFA.
  • As eleições de 2014
  • O momento político-econômico do Brasil - jan 2015
  • 2015 - Já vimos este filme antes?
  • Refletindo sobre guerras - Teremos mais uma ?
  • A Grande Esperança para a humanidade e o Ambiente
  • A Ordem é uma estrada e por ela vai um Bando...
  • Contactos
  • Translate this Page



    ONLINE
    2






     DP

    Na humanidade, o que importa é o individuo. Todo o resto da paisagem que nos cerca serve para manter o individuo. Vivemos em sociedades, cada uma com suas características e se viverem em paz entre si não teremos guerras. Parece lógico, mas ou não é lógico, ou há grupos dentro das sociedades que não entendem esta lógica. Esquecem o coletivo e olham para si mesmos querendo o mundo para si. Restringem a humanidade ao seu grupo.

    Todo o ser humano que seja verdadeiro democrata é a favor: 

    1. Dos direitos da criança
    2. Dos direitos humanos
    3. Da paz entre as sociedades e as nações
    4. Da igualdade de gêneros perante a lei e as instituições religiosas
    5. Pela liberdade de expressão em qualquer lugar
    6. Pela sustentabilidade do planeta
    7. Pela proteção da vida selvagem
    8. De rejeitar qualquer movimento ou ação terrorista
    9. De rejeitar qualquer tipo de violência
    10. De votar item por item a própria Constituição que regirá o governo
    11. De ampliar a democracia ao direito de deseleger quem perca a confiança do eleitor
    12. De ter voz decisiva nas decisões de Estado, por votação popular. 
    13. Da Justiça independente da política
    14. Da nomeação de Juízes do Supremo Tribunal e Ministros por votação popular. 
    Blog recomendado para assuntos gerais relacionados ou não com este tema: