DEMOCRACIA PARTICIPATIVA- A única verdadeira!

Ucrânia – Crimeia por Guantánamo?

Ucrânia – Crimeia por Guantánamo?

Ucrânia – Crimeia por Guantánamo?
... E histórias sempre se repetem. O que muda é a “paisagem”.
Convido quem estiver interessado em verificar como começaram a primeira e a segunda guerra mundial, e o que aconteceu na crise dos mísseis entre Cuba e os EUA[i].
Na primeira guerra mundial, 1914-1918, com Lloyd George à frente do governo britânico, ainda a maior potência colonial da época, Inglaterra, França, EUA, viram a Alemanha do Kaiser Guilherme e de Bismark se armar com pesadas naves de guerra, manobras militares, e atitudes diplomáticas agressivas. Não quiseram admitir a possibilidade de uma guerra mundial. Quando em Sarajevo assassinaram o Arquiduque Francisco do Império Austro-Húngaro, simpático à Alemanha de Bismark e do Kaiser. A Alemanha invade a Bélgica para atacar a França. Problemas de mobilização atrasada por parte da França, Inglaterra e mais tarde EUA, permitiram à Alemanha sonhar em atacar a Rússia.  Em 1917 a Rússia se retirou da guerra por causa da revolução comunista de outubro. Foi durante a guerra que as potências que lutavam contra a Alemanha e o Império austro-húngaro foram recuperando o tempo perdido. A democracia é lenta...



Na segunda guerra mundial, 1939-1845, Hitler deu demonstrações de que se estava armando e fazendo manobras militares, além de construir navios de guerra poderosos e testar aviões de combate. Sua política externa endureceu. Só após invadir a Polônia as potências ocidentais se uniram para dar-lhe combate, mas já tinha invadido a França e a Holanda quando começaram a ser enfrentados. Os EUA entraram muito atrasados na guerra, em 1942. A democracia é lenta...
Porém, entre tantas guerras que acontecem dois outros conflitos que não alcançaram o nível de envolvimento “mundial” merecem atenção: A guerra da Crimeia, 1854-1856 e a crise dos Mísseis, cuja tensão internacional durou 13 dias em Outubro de 1967.
A guerra da Crimeia se iniciou com a Rússia invadindo a Moldávia e a Valáquia (na atual Romênia) que pertenciam ao Império Otomano que incluía a atual Turquia, a pretexto de defender os lugares santos dos Cristãos. Na verdade o Czar Nicolau queria aumentar sua influência nas Balcãs, uma passagem de sua frota pela península da Crimeia, de onde sairia do Bósforo e do Mar negro para o mar Mediterrâneo. Isto não interessava ao Império Britânico. A Rússia foi derrotada por uma coligação e ficou proibida de ter frota no Mar Negro pelo tratado de Paris.
A crise dos misseis foi uma – aparentemente- uma besteira fenomenal da política externa russa acreditando que estava à frente da corrida espacial (1967) e que em breve dominaria o mundo com sua política comunista. Mandou misseis com ogivas que poderiam ser municiadas com bombas atômicas para Cuba a pretexto de defender a ilha de Fidel Castro de uma possível invasão norte-americana. O acordo entre Rússia e EUA chegou a bom termo com uma troca: Os EUA retiravam seus mísseis da Turquia e a Rússia os seus de Cuba. Vistas bem as coisas, não houve besteira alguma: A Rússia saiu em vantagem com a retirada dos mísseis da Turquia. E talvez nunca fosse sua intenção deixar misseis nucleares numa ilha sobre a qual não tinha controle a menos que ocupasse a ilha com forças suficientes. Fidel não era pessoa na qual pudessem confiar e daí a tomar os mísseis e jogá-los sobre os EUA era um passo para uma guerra mundial.
Será a crise da Crimeia uma retomada de algum plano do tempo da guerra fria, quando Putin chegou a ser o chefe supremo da terrível polícia política russa a KGB?
Se atentarmos para alguns fatos, talvez não seja uma opção para jogar fora. Recentemente a Rússia tomou conta de boa parte da Geórgia sob os olhares coniventes do Ocidente, fez acordos com a Síria para a construção de um porto, e pretende construir outro na Venezuela. O Brasil construiu um para Cuba – aparentemente a fundo perdido porque Cuba não tem dinheiro para pagar a conta – e terá incitado e apoia um movimento separatista da Crimeia que faz parte da Ucrânia. Estará a Rússia num processo expansionista de influência, chegando mais perto a cada dia das terras da América do Norte?



Quando patriotas foram para as ruas de Kiev contra a posição de um primeiro ministro que sem fazer plebiscito resolveu desprezar a aproximação da Ucrânia com a União Europeia, declarando que se aproximaria da Rússia, o governo russo viu uma grande oportunidade de influir na península da Crimeia e garantir a passagem de sua frota naval do Bósforo e do Mar Negro, dando-lhe passagem para o Mar Mediterrâneo. Acabou por provocar uma secessão ucraniana muito parecida com a anexação da Áustria à Alemanha de Hitler e mais recentemente de uma parte da Geórgia à Rússia.  Exatamente como em 1864 ao desejar anexar a Crimeia. Por outro lado, como abrir mão desta passagem se está abrindo portos em zona de influência tradicional norte-americana? Somos levados a pensar, face à experiência histórica, se a Rússia pretende negociar algo com o mundo ocidental, ou se pretende realmente enfrentar o ocidente e só a anexação da Crimeia lhe atende os desejos. 


Há algo que devemos ainda ter em mente: Em 1929 houve uma crise econômico-financeira de amplitude mundial que concorreu para o inicio da segunda guerra mundial. Tivemos uma crise idêntica em 2008 e ainda não saímos dela. Muitos países se encontram em crise. Nestas épocas os ânimos da política internacional andam mais exaltados, o dedo treme acariciando o gatilho. 



E o ocidente, democrático, costuma demorar muito a tomar decisões... Por isso não será de estranhar se houver mais um acordo com ou sem mais uma guerra, esta também mundial.

A surpresa será, em havendo acordo, o que a Rússia colocará no prato da balança contra a anexação da Crimeia: Será a base de Guantánamo em Cuba, ou o que sobrou da Geórgia? Não se sabe o que se passa nas cabeças do governo russo, mas porque não? 
® Rui Rodrigues  
  • DEMOCRACIA PARTICIPATIVA, TOTAL, VERDADEIRA,
  • Como funciona a Democracia Participativa- Divulgar
  • Brasil - Esboço para nova Constituição
  • Portugal - Esboço para Nova Constituição
  • Sites sobre Democracia Participativa
  • O despertar do Norte de África-(E da humanidade?)
  • O uso de seu voto na democracia participativa
  • Tabus Sociais e a Democracia Participativa
  • Mensagem aos portugueses
  • senhores candidatos, com que cara vão pedir votos?
  • Sobre transição da Ditadura para “Democracia” e...
  • Sobre os bancos que recolhem as verbas públicas
  • O clima está mudando e as cigarras são poucas.
  • Chega de hipocrisia política- Basta!
  • A produtividade da emergente economia brasileira
  • O que esperamos nós, amantes da ética...
  • VOCÊ É RICO POBRE OU MISERÁVEL? – (Decida)
  • Cenário -2018
  • VIOLÊNCIA NO MUNDO (O que poucos admitem)
  • CAMARATE- Depoimento do ATENTADO e envolvimentos
  • Porque crise mundial não termina antes de 2018/28
  • O Brasil que queremos e a curva de Gauss
  • A crise econômica portuguesa, o fado, e a solução
  • 2011-Dívidas interna/externa de Portugal e Brasil
  • O perfil vencedor de um candidato a senador
  • Indecisões na Vida - E na política
  • A asquerosidade dos ratos de esgoto
  • Crise Mundial de 2008 – Fundamentos
  • Curdos - Síria - Bashar al-Assad
  • Intervenção do estado na democracia brasileira
  • From Russia With Love - Da Rússia com amor
  • Está lá o corpo estendido no chão
  • Crise econômica mundial e as “mudanças” políticas
  • Cuba, Fidel e o fim do Comunismo
  • Visões modernas do Socialismo no Brasil
  • Tudo bem, senhores do governo[1], roubem à vontade
  • Angola - Curiosidades sobre uma nova nação
  • A rica industria da pobreza
  • Esses Líderes de Araque
  • Homens e mulheres à frente do “seu” tempo!
  • O futuro de Portugal- Essa sociedade amorfa
  • CHINA , presente e futuro - 中国,现在和未来
  • Sem ilusões - Política e dopamina
  • Afundem o Lusitânia e outros 3 engôdos políticos
  • Crise mundial - sou paciente - Tenho paciência
  • Pressões sociais hoje – A Partilha do queijo
  • Brasil - Porque o PT perdeu as eleições – 2012
  • O Brasil de hoje - Uma opinião sem muita filosofia
  • Portugal – Como sair da crise de 2008
  • Política e vida à luz da consciência -
  • Panorama mundial - 2012.
  • O que é emigrar - Portugueses
  • Como passar em provas - Brasil - ENEM
  • O dilema do eleitor na hora de votar.
  • Vamos acabar com as guerras?
  • Os últimos condenados à morte
  • Good bye Romney!
  • Goa, Damão e Diu – Outra verdade!
  • Os neoescravos do século XXI
  • Humanidade encurralada !!!
  • Amazônia – Uma solução
  • Carta Aberta a Angela Merkel
  • Brasil fora de Ordem e de Progresso?
  • Como começa uma guerra mundial – Sinais
  • De olho em Dilma Rousseff - Reeleição jamais!
  • O Oriente Médio – momento atual e futuro.
  • Penso, então existo.
  • Economia - Um jogo de Pôquer ?
  • Lula suicidou-se!
  • Curemo-nos a nós mesmos
  • Contratos - No âmbito da administração pública
  • A necessidade da política tal como a conhecemos
  • Política- O incrível exército dos moribundos
  • Ensaio sobre a existência
  • O conflito Israel-palestino - O Cerne da Questão
  • Uma velha profissão: Políticos artistas!
  • Bento XVI, a Igreja Católica e as mudanças
  • Construindo imagens do mundo.
  • Bolsa de apostas - Quem será novo Papa
  • Consciência Planetária
  • A segunda guerra da Coréia
  • Os sete trabalhos de Francisco
  • Precisamos de um novo modelo econômico?
  • Sobre Margareth Thatcher – Conclusão póstuma.
  • Sobre os povos indígenas[1]
  • Como acabar com o terrorismo – Um processo difícil
  • A tragédia portuguesa - A verdade !
  • A ilha de Páscoa, um exemplo da sustentabilidade
  • Feminino masculino - Hatshepsut e Joana
  • O futuro político do Brasil – Sem muita filosofia.
  • Atlântida - A verdade à luz de Platão.
  • O despertar do monstro humanidade
  • Sexo e filhos
  • Conto - Manitu e Alce Pensativo
  • Caminhadas pela natureza da vida
  • Entenda-se Lula e Dilma e “seus” governos.
  • O messianismo político na América do Sul
  • A fama no tempo dos que governam.
  • Os arquivos secretos de Lula
  • Entendendo o Senhor Ministro Barbosa
  • O extraterrestre de Catités
  • Os quatro cavaleiros do Petecalipse.
  • Rumos da política portuguesa
  • RecaPiTulando o PT....
  • O livro vermelho do Crack
  • Seja sempre honesto quando procurar emprego.
  • Acredite, há um modo fácil de ser feliz neste mund
  • Tese Social - A armadilha do Destino
  • Sociedades em transformação e o Mundo Gay
  • O mendigo [1] ilustrado
  • A nobre arte de varrer e o “socialismo transnacio”
  • Razões dos movimentos de rua no Brasil 2013
  • Carta aberta ao Governo e ao Congresso Nacional
  • A JURISPRUDÊNCIA E A MORALIZAÇÃO DO BRASIL
  • Egito – uma primavera da humanidade ?
  • Senatus Populis Que Brasilis.
  • Apelo às forças armadas do Brasil
  • Uma hora de cidadão na democracia participativa.
  • O voto
  • Sete bilhões de humanos procurando governo honesto
  • O PAPA FRANCISCO QUE SE CUIDE...
  • conto - Meus professores me enganaram.
  • Se eu fosse senador
  • o Nojo....
  • Como os cidadãos podem governar por si mesmos
  • Cabum ! Preparação para nova guerra ?
  • Traição à Pátria
  • A neve de Verão (sob o ponto de vista do boi)
  • Weimar 1919 e Brasil 2013 - Um paralelo
  • Porque o Papa Francisco pede para rezar por ele
  • Venha viajar de balão. É grátis.
  • INTERVENÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS.
  • Os acordos "Direita x Esquerda" e o fosso de vácuo
  • O caso dos Pesseghini. História mal contada ?
  • Brasil em impasse político
  • O Ciclo do Comunismo - Ascensão e queda.
  • Carta Aberta ao Ministro Lewandovsky
  • O “deus tutelar” - Seus efeitos sociais e ...
  • Esboço para alterações políticas - Brasil
  • O casamento e o presidente.
  • MOTIVAÇÕES de líderes mundiais
  • Limpando o senado federal, dando-lhe ética e moral
  • protocolo e cerimonial Planalto e Casa Branca
  • O amor nos tempos do dengue.
  • Minha admiração pela "Ladeira Abaixo 10"
  • O mercado de drogas. Como combater.
  • O melhor Partido Político.
  • Já sentiu saudades de um tempo que nunca viveu?
  • Acha que o “mundo” está mudando ?
  • O ultimo encontro com Fidel Castro
  • A Política no Brasil em tons de verde e amarelo
  • O Socialismo do século XXI – Nu e cru.
  • Ucrânia – Crimeia por Guantánamo?
  • O que podemos mudar no mundo para ser mais justo?
  • A Democracia Participativa e as eleições de 2014.
  • A famigerada copa Brasil 2014 da FIFA.
  • As eleições de 2014
  • O momento político-econômico do Brasil - jan 2015
  • 2015 - Já vimos este filme antes?
  • Refletindo sobre guerras - Teremos mais uma ?
  • A Grande Esperança para a humanidade e o Ambiente
  • A Ordem é uma estrada e por ela vai um Bando...
  • Contactos
  • Translate this Page



    ONLINE
    2






     DP

    Na humanidade, o que importa é o individuo. Todo o resto da paisagem que nos cerca serve para manter o individuo. Vivemos em sociedades, cada uma com suas características e se viverem em paz entre si não teremos guerras. Parece lógico, mas ou não é lógico, ou há grupos dentro das sociedades que não entendem esta lógica. Esquecem o coletivo e olham para si mesmos querendo o mundo para si. Restringem a humanidade ao seu grupo.

    Todo o ser humano que seja verdadeiro democrata é a favor: 

    1. Dos direitos da criança
    2. Dos direitos humanos
    3. Da paz entre as sociedades e as nações
    4. Da igualdade de gêneros perante a lei e as instituições religiosas
    5. Pela liberdade de expressão em qualquer lugar
    6. Pela sustentabilidade do planeta
    7. Pela proteção da vida selvagem
    8. De rejeitar qualquer movimento ou ação terrorista
    9. De rejeitar qualquer tipo de violência
    10. De votar item por item a própria Constituição que regirá o governo
    11. De ampliar a democracia ao direito de deseleger quem perca a confiança do eleitor
    12. De ter voz decisiva nas decisões de Estado, por votação popular. 
    13. Da Justiça independente da política
    14. Da nomeação de Juízes do Supremo Tribunal e Ministros por votação popular. 
    Blog recomendado para assuntos gerais relacionados ou não com este tema: