DEMOCRACIA PARTICIPATIVA- A única verdadeira!

A ilha de Páscoa, um exemplo da sustentabilidade

A ilha de Páscoa, um exemplo da sustentabilidade

A ilha de Páscoa, um exemplo da sustentabilidade na Terra.

 

 Ilha de Páscoa

Uma ilha é uma porção de terra cercada de mar por todos os lados. A ilha de Páscoa é isso mesmo: Uma pequena ilha cercada de mar imenso, nada à vista no horizonte. Quem tivesse nascido lá há milhares de anos não veria nada mais a não ser o mar até os confins do horizonte. Seus habitantes, os Rapanui, julgavam-se sós no mundo. Sós, não. Sabiam por tradição oral de seus ancestrais que havia terras para lá, bem longe, da ilha. Mas era-lhes impossível navegar. As pirogas que possuíam só serviam para a pesca. Seus ancestrais tinham vindo para a ilha, de forma determinada, carregando mudas de bananas, cães, porcos, galinhas, entre 300 DC e 400 DC.

 

Em algum momento descobriram a religiosidade e perceberam que alguém deveria ter “feito” a ilha. Chamaram-lhe de Hotu Matu’a, e o entenderam como um deus. Olhavam o horizonte e desejaram voar como os pássaros da ilha, e rezavam a um outro deus, a quem chamaram de Tangata Manu para que lhes dessem asas, mas este deus nunca os ouviu, e os rapanui nunca tiveram asas. Então descobriram que deveria haver uma “entidade” superior, misteriosa, a quem deveriam rezar para que os outros dois deuses os ouvissem, não fossem ficar mal vistos perante uma entidade que não conheciam. Chamaram-lhe de Make-Make.

 

A ilha, quando a descobriram os Rapanui, era coberta de florestas. Sua população aumentou. Passaram a temer que fossem invadidos antes que pudessem atravessar o mar oceano, a que chamamos Pacífico, ou antes que Tangata manu lhes desse asas. Então, como lhes sobrava tempo, construíram enormes estátuas de pedra para afugentar os possíveis inimigos que, tal como eles, poderiam chegar navegando pelo mar. Mas para construir essas estátuas, os Moais, e transportá-las para lugares estratégicos da ilha era necessário cortar as árvores. Sabiam que existiam correntes marítimas, porque elas haviam trazido seus ancestrais até a ilha mas não de seus efeitos sobre o clima, e quando no domingo de páscoa do ano de 1722 o navegador holandês Jacob Roggeveen chegou na ilha, viu os gigantes de pedra, uma população decadente e em vias de extinção, subnutrida, que vivia essencialmente da pesca.  Já não havia bananeiras, nem porcos, nem cães, nem galinhas, nem árvores.

       os Moais da Ilha de Páscoa 

Em grutas da ilha viram ossadas humanas com evidência de canibalismo. Talvez por adoração a seus deuses, ou por necessidade de se alimentarem. Nos cento e cinqüenta anos seguintes 53 expedições foram mandadas á ilha. A cada uma cada vez mais havia estátuas destruídas pelos rapanui, tombadas sobre a grama da ilha. Os rapanui abandonavam os seus deuses nos quais haviam confiado tanto e com tanta devoção. Foi um curto percurso, na escala do tempo, desde que haviam deixado suas origens na ilha de Mangareva, usando as de Pitcaim e Henderson como trampolim usando suas pirogas de navegação à vela: Uma viagem de apenas 17 dias.

 

Em 1888 o governo chileno concedeu a exploração a uma empresa escocesa que introduziu gado ovino na ilha. Os rapanui passaram então à condição de escravos que trabalhavam em troca de bens e víveres que recolhiam no barracão da empresa, em vez de dinheiro. Em 1914 revoltaram-se. Somente em 1966 foram reconhecidos como cidadãos chilenos.  A ilha é formada pela junção de três vulcões adormecidos. Reza-se para que não eclodam, mas as preces já não são dirigidas a Hotu Matu’a, nem a Tangata Manu, e muito menos a Make-Make.

                Estamos sós no espaço

Nosso planeta é uma ilha na imensidão do cosmos. Temos nossos deuses, mas já nos restam poucas florestas. Poluímos as águas, infestamos os ares, conspurcamos a terra com radioatividade. Olhamos para o Cosmos e não vemos outras ilhas de onde possam vir a tempo de salvar-nos. Muitos deuses já foram abandonados e jazem no esquecimento. Somos os Rapanui do Cosmos, divididos em partidos políticos e religiões, cada um arrecadando o máximo que pode de dinheiro no barracão dos cofres públicos: O canibalismo humano moderno.

 

Rui Rodrigues

  • DEMOCRACIA PARTICIPATIVA, TOTAL, VERDADEIRA,
  • Como funciona a Democracia Participativa- Divulgar
  • Brasil - Esboço para nova Constituição
  • Portugal - Esboço para Nova Constituição
  • Sites sobre Democracia Participativa
  • O despertar do Norte de África-(E da humanidade?)
  • O uso de seu voto na democracia participativa
  • Tabus Sociais e a Democracia Participativa
  • Mensagem aos portugueses
  • senhores candidatos, com que cara vão pedir votos?
  • Sobre transição da Ditadura para “Democracia” e...
  • Sobre os bancos que recolhem as verbas públicas
  • O clima está mudando e as cigarras são poucas.
  • Chega de hipocrisia política- Basta!
  • A produtividade da emergente economia brasileira
  • O que esperamos nós, amantes da ética...
  • VOCÊ É RICO POBRE OU MISERÁVEL? – (Decida)
  • Cenário -2018
  • VIOLÊNCIA NO MUNDO (O que poucos admitem)
  • CAMARATE- Depoimento do ATENTADO e envolvimentos
  • Porque crise mundial não termina antes de 2018/28
  • O Brasil que queremos e a curva de Gauss
  • A crise econômica portuguesa, o fado, e a solução
  • 2011-Dívidas interna/externa de Portugal e Brasil
  • O perfil vencedor de um candidato a senador
  • Indecisões na Vida - E na política
  • A asquerosidade dos ratos de esgoto
  • Crise Mundial de 2008 – Fundamentos
  • Curdos - Síria - Bashar al-Assad
  • Intervenção do estado na democracia brasileira
  • From Russia With Love - Da Rússia com amor
  • Está lá o corpo estendido no chão
  • Crise econômica mundial e as “mudanças” políticas
  • Cuba, Fidel e o fim do Comunismo
  • Visões modernas do Socialismo no Brasil
  • Tudo bem, senhores do governo[1], roubem à vontade
  • Angola - Curiosidades sobre uma nova nação
  • A rica industria da pobreza
  • Esses Líderes de Araque
  • Homens e mulheres à frente do “seu” tempo!
  • O futuro de Portugal- Essa sociedade amorfa
  • CHINA , presente e futuro - 中国,现在和未来
  • Sem ilusões - Política e dopamina
  • Afundem o Lusitânia e outros 3 engôdos políticos
  • Crise mundial - sou paciente - Tenho paciência
  • Pressões sociais hoje – A Partilha do queijo
  • Brasil - Porque o PT perdeu as eleições – 2012
  • O Brasil de hoje - Uma opinião sem muita filosofia
  • Portugal – Como sair da crise de 2008
  • Política e vida à luz da consciência -
  • Panorama mundial - 2012.
  • O que é emigrar - Portugueses
  • Como passar em provas - Brasil - ENEM
  • O dilema do eleitor na hora de votar.
  • Vamos acabar com as guerras?
  • Os últimos condenados à morte
  • Good bye Romney!
  • Goa, Damão e Diu – Outra verdade!
  • Os neoescravos do século XXI
  • Humanidade encurralada !!!
  • Amazônia – Uma solução
  • Carta Aberta a Angela Merkel
  • Brasil fora de Ordem e de Progresso?
  • Como começa uma guerra mundial – Sinais
  • De olho em Dilma Rousseff - Reeleição jamais!
  • O Oriente Médio – momento atual e futuro.
  • Penso, então existo.
  • Economia - Um jogo de Pôquer ?
  • Lula suicidou-se!
  • Curemo-nos a nós mesmos
  • Contratos - No âmbito da administração pública
  • A necessidade da política tal como a conhecemos
  • Política- O incrível exército dos moribundos
  • Ensaio sobre a existência
  • O conflito Israel-palestino - O Cerne da Questão
  • Uma velha profissão: Políticos artistas!
  • Bento XVI, a Igreja Católica e as mudanças
  • Construindo imagens do mundo.
  • Bolsa de apostas - Quem será novo Papa
  • Consciência Planetária
  • A segunda guerra da Coréia
  • Os sete trabalhos de Francisco
  • Precisamos de um novo modelo econômico?
  • Sobre Margareth Thatcher – Conclusão póstuma.
  • Sobre os povos indígenas[1]
  • Como acabar com o terrorismo – Um processo difícil
  • A tragédia portuguesa - A verdade !
  • A ilha de Páscoa, um exemplo da sustentabilidade
  • Feminino masculino - Hatshepsut e Joana
  • O futuro político do Brasil – Sem muita filosofia.
  • Atlântida - A verdade à luz de Platão.
  • O despertar do monstro humanidade
  • Sexo e filhos
  • Conto - Manitu e Alce Pensativo
  • Caminhadas pela natureza da vida
  • Entenda-se Lula e Dilma e “seus” governos.
  • O messianismo político na América do Sul
  • A fama no tempo dos que governam.
  • Os arquivos secretos de Lula
  • Entendendo o Senhor Ministro Barbosa
  • O extraterrestre de Catités
  • Os quatro cavaleiros do Petecalipse.
  • Rumos da política portuguesa
  • RecaPiTulando o PT....
  • O livro vermelho do Crack
  • Seja sempre honesto quando procurar emprego.
  • Acredite, há um modo fácil de ser feliz neste mund
  • Tese Social - A armadilha do Destino
  • Sociedades em transformação e o Mundo Gay
  • O mendigo [1] ilustrado
  • A nobre arte de varrer e o “socialismo transnacio”
  • Razões dos movimentos de rua no Brasil 2013
  • Carta aberta ao Governo e ao Congresso Nacional
  • A JURISPRUDÊNCIA E A MORALIZAÇÃO DO BRASIL
  • Egito – uma primavera da humanidade ?
  • Senatus Populis Que Brasilis.
  • Apelo às forças armadas do Brasil
  • Uma hora de cidadão na democracia participativa.
  • O voto
  • Sete bilhões de humanos procurando governo honesto
  • O PAPA FRANCISCO QUE SE CUIDE...
  • conto - Meus professores me enganaram.
  • Se eu fosse senador
  • o Nojo....
  • Como os cidadãos podem governar por si mesmos
  • Cabum ! Preparação para nova guerra ?
  • Traição à Pátria
  • A neve de Verão (sob o ponto de vista do boi)
  • Weimar 1919 e Brasil 2013 - Um paralelo
  • Porque o Papa Francisco pede para rezar por ele
  • Venha viajar de balão. É grátis.
  • INTERVENÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS.
  • Os acordos "Direita x Esquerda" e o fosso de vácuo
  • O caso dos Pesseghini. História mal contada ?
  • Brasil em impasse político
  • O Ciclo do Comunismo - Ascensão e queda.
  • Carta Aberta ao Ministro Lewandovsky
  • O “deus tutelar” - Seus efeitos sociais e ...
  • Esboço para alterações políticas - Brasil
  • O casamento e o presidente.
  • MOTIVAÇÕES de líderes mundiais
  • Limpando o senado federal, dando-lhe ética e moral
  • protocolo e cerimonial Planalto e Casa Branca
  • O amor nos tempos do dengue.
  • Minha admiração pela "Ladeira Abaixo 10"
  • O mercado de drogas. Como combater.
  • O melhor Partido Político.
  • Já sentiu saudades de um tempo que nunca viveu?
  • Acha que o “mundo” está mudando ?
  • O ultimo encontro com Fidel Castro
  • A Política no Brasil em tons de verde e amarelo
  • O Socialismo do século XXI – Nu e cru.
  • Ucrânia – Crimeia por Guantánamo?
  • O que podemos mudar no mundo para ser mais justo?
  • A Democracia Participativa e as eleições de 2014.
  • A famigerada copa Brasil 2014 da FIFA.
  • As eleições de 2014
  • O momento político-econômico do Brasil - jan 2015
  • 2015 - Já vimos este filme antes?
  • Refletindo sobre guerras - Teremos mais uma ?
  • A Grande Esperança para a humanidade e o Ambiente
  • A Ordem é uma estrada e por ela vai um Bando...
  • Contactos
  • Translate this Page



    ONLINE
    1






     DP

    Na humanidade, o que importa é o individuo. Todo o resto da paisagem que nos cerca serve para manter o individuo. Vivemos em sociedades, cada uma com suas características e se viverem em paz entre si não teremos guerras. Parece lógico, mas ou não é lógico, ou há grupos dentro das sociedades que não entendem esta lógica. Esquecem o coletivo e olham para si mesmos querendo o mundo para si. Restringem a humanidade ao seu grupo.

    Todo o ser humano que seja verdadeiro democrata é a favor: 

    1. Dos direitos da criança
    2. Dos direitos humanos
    3. Da paz entre as sociedades e as nações
    4. Da igualdade de gêneros perante a lei e as instituições religiosas
    5. Pela liberdade de expressão em qualquer lugar
    6. Pela sustentabilidade do planeta
    7. Pela proteção da vida selvagem
    8. De rejeitar qualquer movimento ou ação terrorista
    9. De rejeitar qualquer tipo de violência
    10. De votar item por item a própria Constituição que regirá o governo
    11. De ampliar a democracia ao direito de deseleger quem perca a confiança do eleitor
    12. De ter voz decisiva nas decisões de Estado, por votação popular. 
    13. Da Justiça independente da política
    14. Da nomeação de Juízes do Supremo Tribunal e Ministros por votação popular. 
    Blog recomendado para assuntos gerais relacionados ou não com este tema: