DEMOCRACIA PARTICIPATIVA- A única verdadeira!

Curemo-nos a nós mesmos

Curemo-nos a nós mesmos

 

                                                      Aprendendo a usar o cérebro

Podemos imaginar os primeiros passos, as primeiras investidas no conhecimento de todas estas coisas do Universo. Certamente começou muito lá atrás, há milhões de anos, com a curiosidade de crianças, mulheres, homens mais introspectivos, ao olharem para certas plantas, cogumelos, sapos, sem saberem se eram comestíveis. Não tinham como saber, mas umas plantas aliviavam as dores, outras faziam dormir, outras ainda provocavam alucinações. Muitos dos primeiros que experimentaram morreram. Os que tinham visões passaram a temer deuses que só existiam quando ingeriam as plantas ou lambiam os sapos, e eram bons e maus aqueles deuses; Os outros, os que só assistiram, aprenderam e passaram a informação adiante. E assim a humanidade chegou a um período, depois de uma milionária caminhada de anos, a um período tenebroso a que se chamou de “idade das trevas” ou Idade média.

                                                   Dama de ferro para torturar inocentes

Foi o auge dos sacerdotes oriundos das visões fantasmagóricas de deuses que se arrependiam de ter criado a humanidade, que fabricavam “damas de ferro” onde cozinhavam, assavam e espetavam os corpos de gente inocente que depois queimavam em fogueiras. Era o tempo das “bruxas” e dos alquimistas. Foi o tempo da reflexão sobre o que é real e o   que não é. Como costuma acontecer, quando se chega ao fundo do poço, não se pode descer mais, e a tendência é subir. A Idade das Trevas foi o fundo do poço do qual emergiram os químicos, os físicos, os matemáticos, os médicos, os engenheiros, os filósofos, a indústria, o desenvolvimento do comércio, e mais tarde os celulares, as televisões de plasma, os aviões a jato, as viagens interplanetárias, o estudo do genoma humano, a alta produção por hectare das plantações e culturas, os automóveis elétricos, os computadores pessoais, a Internet, a cura do câncer ainda que parcial. Na Idade Média nem se sabia o que era câncer, mas “sabiam”, os “humildes fiéis convenientes” com toda a convicção, que “deus” mandara fazer cruzadas contra os “infiéis” e queimar gente inteligente em fogueiras. Falava-se em nome de “deus”. Um deus muito estranho esse, certamente, e que, apesar de sua “infalibilidade” continua a ser credível!”

                                                    Na idade das trevas se opuseram à pesquisa

E hoje descobrimos, finalmente, que este planeta é um fábrica, que cada corpo vivo é uma pequena central de produtos e de produção, que a vida deve manter-se e ser preservada, que cada unidade é fundamental para a sobrevivência de todo o sistema. Ácidos, bases e sais, aldeídos, álcoois, e outros produtos químicos existem em qualquer ser humano, em muitas plantas; o ferro e os metais vieram de estrelas que explodiram; outros produtos descobrimos e criamos, e as outras “fábricas”, aquelas que produzimos para obtermos grandes quantidades dos produtos, são artificiais, porém de toda a utilidade porque servem a muitos fins construtivos, e, eventualmente, destrutivos. Evoluímos, sempre, com determinismo pessoal ou coletivo, podendo decidir a qualquer momento que caminho deva ser seguido.

Evidentemente que num planeta limitado, nada deve ser longevo, viver eternamente, sob pena de não permitir as novas gerações, a evolução que elas trazem. Imaginando que todos fossemos eternos e que continuássemos a nos reproduzir, este planeta se encheria em apenas algumas décadas, impossibilitando a vida e a convivência. A conclusão simples e fatal é que temos, obrigatoriamente, que falecer a qualquer momento. Não haveria outra forma de haver vida, se não estivesse aliada à morte, por total falta de espaço para evoluir.

Por isso, o que se busca é uma vida – enquanto durar – que seja digna, evitando os sofrimentos naturais, mas sem criar sofrimentos artificiais, como parece ser o caso das destruições em massa pelas guerras.

                                            Varíola que já matou milhões

Mas, se somos fábricas ambulantes, onde se produzem células “T” que nos resguardam de doenças, e possuímos ao nosso alcance vacinas e remédios que podem ajudar-nos na cura de doenças, precisamos descobrir os mecanismos que atuam em nosso corpo e salvam a uns e a outros não, deixando que os processos de infecção ou contaminação, deixem de parecer “aleatórios”. Nosso próprio corpo nos pode curar desde que tomemos, desde a infância, certos cuidados. A longevidade  a que chegamos, a cerca de 80 anos como expectativa de vida, deve-se muito mais aos cuidados com a alimentação, a hábitos alimentares, aos cuidados com a higiene do que à descoberta de vacinas e medicamentos, mas jamais teríamos estes resultados se não fossem as vacinas, os medicamentos, e o desenvolvimento da medicina através da engenharia, e em particular, da engenharia genética. 

Precisamos descobrir a “inteligência” pessoal que nos cura a nós mesmos de todas as doenças e ferimentos, como fez uma galinha que foi ferida com um grande corte no pescoço por um gambá e se recuperou e sobreviveu. Postou 14 ovos em ninho que fez e começou a chocá-los. Certa noite outro gambá veio e lhe comeu quase todos os ovos deixando apenas quatro. No dia seguinte o gambá voltou e deu-lhe um corte tão grande nas costelas que as vísceras apareceram e a galinha caminhava devagar e mancando. Uma semana depois, a galinha estava em processo visível de cicatrização curada a milho e água. Os dois gambás foram mortos a tiro. O criador das galinhas teria que optar entre a sobrevivência dos gambás ou das galinhas, mas não temos certeza de que o Criador tenha uma espingarda de doenças e de desastres para eliminar o que quer que seja deste planeta. Parece que o Criador fez o Universo sujeito a leis impressas na sua formação e saiu para outros lugares. Sem ele por perto para cuidar de cada um de nós, temos que aprender a nos curarmos a nós mesmos. Pode perfeitamente ser que a cura “pessoal” por meios naturais e a própria evolução se expliquem através de uma relação de informação entre o cérebro e o cerebelo, retransmitidas ao ADN celular. O que exatamente estamos fazendo agora parece estar nesse caminho, mas só foi possível depois que nos livramos do poder daqueles que, baseados não se sabe em quê, sem razão alguma, quiseram impedir o desenvolvimento das ciências com argumentos de mágicos que não sabiam como fazer mágicas.

Nosso corpo é uma fábrica de produtos químicos 

Ou nos apresentavam números de mágicas que não eram mágicas, mas curas pessoais por meios naturais e para continuarmos a evoluir é necessário que nos livremos do mal – “Amem” – dos que tentam limitar o conhecimento quer usem a política, a religião, a força, a economia, ou qualquer outro meio ou arma para nos impedir.

Rui Rodrigues

  • DEMOCRACIA PARTICIPATIVA, TOTAL, VERDADEIRA,
  • Como funciona a Democracia Participativa- Divulgar
  • Brasil - Esboço para nova Constituição
  • Portugal - Esboço para Nova Constituição
  • Sites sobre Democracia Participativa
  • O despertar do Norte de África-(E da humanidade?)
  • O uso de seu voto na democracia participativa
  • Tabus Sociais e a Democracia Participativa
  • Mensagem aos portugueses
  • senhores candidatos, com que cara vão pedir votos?
  • Sobre transição da Ditadura para “Democracia” e...
  • Sobre os bancos que recolhem as verbas públicas
  • O clima está mudando e as cigarras são poucas.
  • Chega de hipocrisia política- Basta!
  • A produtividade da emergente economia brasileira
  • O que esperamos nós, amantes da ética...
  • VOCÊ É RICO POBRE OU MISERÁVEL? – (Decida)
  • Cenário -2018
  • VIOLÊNCIA NO MUNDO (O que poucos admitem)
  • CAMARATE- Depoimento do ATENTADO e envolvimentos
  • Porque crise mundial não termina antes de 2018/28
  • O Brasil que queremos e a curva de Gauss
  • A crise econômica portuguesa, o fado, e a solução
  • 2011-Dívidas interna/externa de Portugal e Brasil
  • O perfil vencedor de um candidato a senador
  • Indecisões na Vida - E na política
  • A asquerosidade dos ratos de esgoto
  • Crise Mundial de 2008 – Fundamentos
  • Curdos - Síria - Bashar al-Assad
  • Intervenção do estado na democracia brasileira
  • From Russia With Love - Da Rússia com amor
  • Está lá o corpo estendido no chão
  • Crise econômica mundial e as “mudanças” políticas
  • Cuba, Fidel e o fim do Comunismo
  • Visões modernas do Socialismo no Brasil
  • Tudo bem, senhores do governo[1], roubem à vontade
  • Angola - Curiosidades sobre uma nova nação
  • A rica industria da pobreza
  • Esses Líderes de Araque
  • Homens e mulheres à frente do “seu” tempo!
  • O futuro de Portugal- Essa sociedade amorfa
  • CHINA , presente e futuro - 中国,现在和未来
  • Sem ilusões - Política e dopamina
  • Afundem o Lusitânia e outros 3 engôdos políticos
  • Crise mundial - sou paciente - Tenho paciência
  • Pressões sociais hoje – A Partilha do queijo
  • Brasil - Porque o PT perdeu as eleições – 2012
  • O Brasil de hoje - Uma opinião sem muita filosofia
  • Portugal – Como sair da crise de 2008
  • Política e vida à luz da consciência -
  • Panorama mundial - 2012.
  • O que é emigrar - Portugueses
  • Como passar em provas - Brasil - ENEM
  • O dilema do eleitor na hora de votar.
  • Vamos acabar com as guerras?
  • Os últimos condenados à morte
  • Good bye Romney!
  • Goa, Damão e Diu – Outra verdade!
  • Os neoescravos do século XXI
  • Humanidade encurralada !!!
  • Amazônia – Uma solução
  • Carta Aberta a Angela Merkel
  • Brasil fora de Ordem e de Progresso?
  • Como começa uma guerra mundial – Sinais
  • De olho em Dilma Rousseff - Reeleição jamais!
  • O Oriente Médio – momento atual e futuro.
  • Penso, então existo.
  • Economia - Um jogo de Pôquer ?
  • Lula suicidou-se!
  • Curemo-nos a nós mesmos
  • Contratos - No âmbito da administração pública
  • A necessidade da política tal como a conhecemos
  • Política- O incrível exército dos moribundos
  • Ensaio sobre a existência
  • O conflito Israel-palestino - O Cerne da Questão
  • Uma velha profissão: Políticos artistas!
  • Bento XVI, a Igreja Católica e as mudanças
  • Construindo imagens do mundo.
  • Bolsa de apostas - Quem será novo Papa
  • Consciência Planetária
  • A segunda guerra da Coréia
  • Os sete trabalhos de Francisco
  • Precisamos de um novo modelo econômico?
  • Sobre Margareth Thatcher – Conclusão póstuma.
  • Sobre os povos indígenas[1]
  • Como acabar com o terrorismo – Um processo difícil
  • A tragédia portuguesa - A verdade !
  • A ilha de Páscoa, um exemplo da sustentabilidade
  • Feminino masculino - Hatshepsut e Joana
  • O futuro político do Brasil – Sem muita filosofia.
  • Atlântida - A verdade à luz de Platão.
  • O despertar do monstro humanidade
  • Sexo e filhos
  • Conto - Manitu e Alce Pensativo
  • Caminhadas pela natureza da vida
  • Entenda-se Lula e Dilma e “seus” governos.
  • O messianismo político na América do Sul
  • A fama no tempo dos que governam.
  • Os arquivos secretos de Lula
  • Entendendo o Senhor Ministro Barbosa
  • O extraterrestre de Catités
  • Os quatro cavaleiros do Petecalipse.
  • Rumos da política portuguesa
  • RecaPiTulando o PT....
  • O livro vermelho do Crack
  • Seja sempre honesto quando procurar emprego.
  • Acredite, há um modo fácil de ser feliz neste mund
  • Tese Social - A armadilha do Destino
  • Sociedades em transformação e o Mundo Gay
  • O mendigo [1] ilustrado
  • A nobre arte de varrer e o “socialismo transnacio”
  • Razões dos movimentos de rua no Brasil 2013
  • Carta aberta ao Governo e ao Congresso Nacional
  • A JURISPRUDÊNCIA E A MORALIZAÇÃO DO BRASIL
  • Egito – uma primavera da humanidade ?
  • Senatus Populis Que Brasilis.
  • Apelo às forças armadas do Brasil
  • Uma hora de cidadão na democracia participativa.
  • O voto
  • Sete bilhões de humanos procurando governo honesto
  • O PAPA FRANCISCO QUE SE CUIDE...
  • conto - Meus professores me enganaram.
  • Se eu fosse senador
  • o Nojo....
  • Como os cidadãos podem governar por si mesmos
  • Cabum ! Preparação para nova guerra ?
  • Traição à Pátria
  • A neve de Verão (sob o ponto de vista do boi)
  • Weimar 1919 e Brasil 2013 - Um paralelo
  • Porque o Papa Francisco pede para rezar por ele
  • Venha viajar de balão. É grátis.
  • INTERVENÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS.
  • Os acordos "Direita x Esquerda" e o fosso de vácuo
  • O caso dos Pesseghini. História mal contada ?
  • Brasil em impasse político
  • O Ciclo do Comunismo - Ascensão e queda.
  • Carta Aberta ao Ministro Lewandovsky
  • O “deus tutelar” - Seus efeitos sociais e ...
  • Esboço para alterações políticas - Brasil
  • O casamento e o presidente.
  • MOTIVAÇÕES de líderes mundiais
  • Limpando o senado federal, dando-lhe ética e moral
  • protocolo e cerimonial Planalto e Casa Branca
  • O amor nos tempos do dengue.
  • Minha admiração pela "Ladeira Abaixo 10"
  • O mercado de drogas. Como combater.
  • O melhor Partido Político.
  • Já sentiu saudades de um tempo que nunca viveu?
  • Acha que o “mundo” está mudando ?
  • O ultimo encontro com Fidel Castro
  • A Política no Brasil em tons de verde e amarelo
  • O Socialismo do século XXI – Nu e cru.
  • Ucrânia – Crimeia por Guantánamo?
  • O que podemos mudar no mundo para ser mais justo?
  • A Democracia Participativa e as eleições de 2014.
  • A famigerada copa Brasil 2014 da FIFA.
  • As eleições de 2014
  • O momento político-econômico do Brasil - jan 2015
  • 2015 - Já vimos este filme antes?
  • Refletindo sobre guerras - Teremos mais uma ?
  • A Grande Esperança para a humanidade e o Ambiente
  • A Ordem é uma estrada e por ela vai um Bando...
  • Contactos
  • Translate this Page



    ONLINE
    2






     DP

    Na humanidade, o que importa é o individuo. Todo o resto da paisagem que nos cerca serve para manter o individuo. Vivemos em sociedades, cada uma com suas características e se viverem em paz entre si não teremos guerras. Parece lógico, mas ou não é lógico, ou há grupos dentro das sociedades que não entendem esta lógica. Esquecem o coletivo e olham para si mesmos querendo o mundo para si. Restringem a humanidade ao seu grupo.

    Todo o ser humano que seja verdadeiro democrata é a favor: 

    1. Dos direitos da criança
    2. Dos direitos humanos
    3. Da paz entre as sociedades e as nações
    4. Da igualdade de gêneros perante a lei e as instituições religiosas
    5. Pela liberdade de expressão em qualquer lugar
    6. Pela sustentabilidade do planeta
    7. Pela proteção da vida selvagem
    8. De rejeitar qualquer movimento ou ação terrorista
    9. De rejeitar qualquer tipo de violência
    10. De votar item por item a própria Constituição que regirá o governo
    11. De ampliar a democracia ao direito de deseleger quem perca a confiança do eleitor
    12. De ter voz decisiva nas decisões de Estado, por votação popular. 
    13. Da Justiça independente da política
    14. Da nomeação de Juízes do Supremo Tribunal e Ministros por votação popular. 
    Blog recomendado para assuntos gerais relacionados ou não com este tema: