DEMOCRACIA PARTICIPATIVA- A única verdadeira!

Pressões sociais hoje – A Partilha do queijo

Pressões sociais hoje – A Partilha do queijo

 

 A partilha do queijo

 

Marcelo de Finizzio, dono de um restaurante em Trieste, norte de Itália, subiu a 137 metros de altura, na cúpula de S. Pedro no Vaticano, para reclamar contra a decisão da Comunidade Européia de colocar em leilão todas as concessões junto á praia. Quem não vir nesta decisão da União Européia um atentado contra a iniciativa privada, nem precisa ler o resto deste artigo. Ao colocar em leilão, certamente donos de hotéis e de grandes empresas serão beneficiadas porque têm mais capital. É o mesmo que um dia resolverem leiloar todas as pequenas propriedades agrícolas para grandes multinacionais. O povo está sendo alijado da propriedade e transformado em mecânicos artesãos, trabalhadores braçais e de prestação de serviços, perdem (i)legalmente a propriedade. É um caminho perigoso porque esta ação da Comunidade Econômica Européia se junta a algumas outras ao redor do mundo compondo um quadro onde é visível o extraordinário poder do capital nos dias de hoje, que chega a sobrepor-se ao bom senso, à lei – obrigando-a a alterações - e como vemos, à vontade política dos cidadãos, e ao Estado de Direito.

 

Até cerca de trinta anos atrás as pressões sociais eram exercidas sobre os governos que eram obrigados a contemporizar, rever as suas posições. Hoje as pressões sociais perdem a força, porque se criaram mecanismos, no seio do poder, para amortecimento destas pressões sem necessidade de repressão física ou moral. O sucesso desta realidade são as leis, que em vez de serem aprovadas pelos cidadãos, são aprovadas ou rejeitadas por “representantes” dos cidadãos que estão comprometidos com os Partidos, não com os cidadãos. Os Partidos políticos servem a quem lhes paga as eleições. É o capital que lhes paga.

 

O desfalecimento quase instantâneo do comunismo ao redor do mundo, sem revoluções, foi a porta de abertura para a invasão do capital que tomou de assalto as empresas estatais fundadas com dinheiros de impostos públicos, vendidas em leilão pelo mundo afora. Dado o alto valor dessas empresas, eram poucos os concorrentes, o que se prestou à manipulação das ofertas. Era a globalização. Como empresas privadas visam o lucro, e com o lucro ampliar seus negócios, em reinvestimentos contínuos, podemos antever o que sucederá a seguir: A queda do padrão de qualidade, o aumento do custo de vida, o empobrecimento dos serviços públicos. Mas antes que continuemos, que fique claro que o comunismo e o socialismo também não fizeram melhor. É necessária uma democracia participativa se os cidadãos desejarem mudar estas tendências.

 

Sobre como os grandes banqueiros do mundo se apoderaram das verbas públicas já foi fartamente discutido neste site em alguns artigos específicos, o que contribuiu para a queda do emprego público e a qualidade dos serviços, e, portanto, aumentou a pressão social que os governos tentam controlar.

 

A prévia abertura de Shoppings que centralizavam o comércio de bens de consumo diminuiu drasticamente o faturamento de muitas lojas de pequenos empreendedores e investidores, e do comércio de bairro, e foi certamente o sucesso destes empreendimentos que gerou a perspectiva da aglutinação de pequenos negócios em mãos de quem tem o capital para comprá-los. Como os donos não querem vender, o que parece óbvio, faz-se necessária, por parte do capital, a implantação de medidas emanadas de governos para legalizar o que antes parecia um atentado à propriedade. Aparentemente, vemos um comunismo capitalista agindo sobre populações democraticamente agora comunistas na divisão das migalhas que vão sobrando da mesa do capital. E cada vez sobram menos migalhas, como enorme queijo que seria o comercio mundial, sendo comido por ratos, cuja comilança tem um limite: o número de ratos e o tamanho do queijo, sinal de que um dia, não se sabe quando, o queijo acaba e os ratos morrem. É um alívio saber disso, que a impunidade não dura sempre. Já aconteceu isso com as teocracias, com as realezas, com o comunismo, e acontecerá certamente com o capitalismo. O mundo evolui rumo a caminho incerto.   

 

Repare-se, por exemplo, nos deficientes serviços de telefonia, mesmo em banda larga: Pode reclamar à vontade que não será completamente atendido, porque os juízes são pagos pelo Estado, as leis são permissivas e dúbias, por vezes prolixas, a burocracia cansa o cidadão e custa caro, perde-se tempo que é necessário para não faltar ao emprego e ganhar o seu salário. Experimente reclamar sobre os serviços de energia elétrica ou sobre o custo da água, ou sobre a falta de serviços de infra-estruturas... Nada diferente, e as esperas e deficiências para consultas e intervenções em hospitais públicos ou em clinicas associadas a planos de saúde, segue o mesmo processo de frustração pela impotência em resolver estes atentados à justiça e ao bom senso do que se entende por democracia.

 

Estradas construídas sob contrato para durarem tinta anos, não duram cinco com transito normal, e para não interferir no “lucro” das empresas rodoviárias de transporte, não há balanças nas estradas para fiscalizar o peso dos caminhões, que, como se sabe, com carga em excesso diminuem a vida útil de pontes, estradas, ruas, barcaças de transporte e podem causar desastres com perdas irreparáveis. Podem implantar reservas florestais à vontade, mas alegando falta de recursos alocam meia dúzia de fiscais e um par de viaturas que usam até ponto de sucata para vigiar essas áreas por vezes imensas, o que lhes provoca a invasão e a deterioração, e torna inócuas as leis.

 

E são muitos os exemplos ao redor do mundo que cada cidadão, ao ler este artigo certamente se lembrará de imediato por lhe afetarem seriamente a vida. Uma vida que se irá deteriorar ao longo da próxima década se equilibrará e permanecerá estável por pelo menos uma centena de anos. A menos que haja movimentos mundiais mudando esta tendência. Antigamente dizia-se que a humanidade cuidava do futuro de seus filhos, mas com o decréscimo da natalidade – porque o custo de vida e o trabalho não permitem ter e cuidar de filhos – é possível que a humanidade escolha simplesmente viver o momento, a vida, e assistir calmamente os ratos comerem o queijo, devidamente protegidos por alfarrábios de novas leis, polícia com ares de exército, exército com ares de cavaleiros apocalípticos, enquanto toma a sua coca-cola, come um hambúrguer gorduroso, mas saboroso, assistindo a um show publico pago a peso de ouro pelos poderes públicos com o dinheiro dos cidadãos.

 

Não temos ainda um consenso sobre este novo capítulo das eras da humanidade, algo parecido com uma séria revolta do capital contra as limitações do Estado de direito. O povo não tem a mínima participação na escolha de seu destino.E incrívelmente, são os ratos que nos montam armadilhas.

 

Quer mudar? Consulte http://conscienciademocrata.no.comunidades.net/

 

 

Rui Rodrigues

 

 

  • DEMOCRACIA PARTICIPATIVA, TOTAL, VERDADEIRA,
  • Como funciona a Democracia Participativa- Divulgar
  • Brasil - Esboço para nova Constituição
  • Portugal - Esboço para Nova Constituição
  • Sites sobre Democracia Participativa
  • O despertar do Norte de África-(E da humanidade?)
  • O uso de seu voto na democracia participativa
  • Tabus Sociais e a Democracia Participativa
  • Mensagem aos portugueses
  • senhores candidatos, com que cara vão pedir votos?
  • Sobre transição da Ditadura para “Democracia” e...
  • Sobre os bancos que recolhem as verbas públicas
  • O clima está mudando e as cigarras são poucas.
  • Chega de hipocrisia política- Basta!
  • A produtividade da emergente economia brasileira
  • O que esperamos nós, amantes da ética...
  • VOCÊ É RICO POBRE OU MISERÁVEL? – (Decida)
  • Cenário -2018
  • VIOLÊNCIA NO MUNDO (O que poucos admitem)
  • CAMARATE- Depoimento do ATENTADO e envolvimentos
  • Porque crise mundial não termina antes de 2018/28
  • O Brasil que queremos e a curva de Gauss
  • A crise econômica portuguesa, o fado, e a solução
  • 2011-Dívidas interna/externa de Portugal e Brasil
  • O perfil vencedor de um candidato a senador
  • Indecisões na Vida - E na política
  • A asquerosidade dos ratos de esgoto
  • Crise Mundial de 2008 – Fundamentos
  • Curdos - Síria - Bashar al-Assad
  • Intervenção do estado na democracia brasileira
  • From Russia With Love - Da Rússia com amor
  • Está lá o corpo estendido no chão
  • Crise econômica mundial e as “mudanças” políticas
  • Cuba, Fidel e o fim do Comunismo
  • Visões modernas do Socialismo no Brasil
  • Tudo bem, senhores do governo[1], roubem à vontade
  • Angola - Curiosidades sobre uma nova nação
  • A rica industria da pobreza
  • Esses Líderes de Araque
  • Homens e mulheres à frente do “seu” tempo!
  • O futuro de Portugal- Essa sociedade amorfa
  • CHINA , presente e futuro - 中国,现在和未来
  • Sem ilusões - Política e dopamina
  • Afundem o Lusitânia e outros 3 engôdos políticos
  • Crise mundial - sou paciente - Tenho paciência
  • Pressões sociais hoje – A Partilha do queijo
  • Brasil - Porque o PT perdeu as eleições – 2012
  • O Brasil de hoje - Uma opinião sem muita filosofia
  • Portugal – Como sair da crise de 2008
  • Política e vida à luz da consciência -
  • Panorama mundial - 2012.
  • O que é emigrar - Portugueses
  • Como passar em provas - Brasil - ENEM
  • O dilema do eleitor na hora de votar.
  • Vamos acabar com as guerras?
  • Os últimos condenados à morte
  • Good bye Romney!
  • Goa, Damão e Diu – Outra verdade!
  • Os neoescravos do século XXI
  • Humanidade encurralada !!!
  • Amazônia – Uma solução
  • Carta Aberta a Angela Merkel
  • Brasil fora de Ordem e de Progresso?
  • Como começa uma guerra mundial – Sinais
  • De olho em Dilma Rousseff - Reeleição jamais!
  • O Oriente Médio – momento atual e futuro.
  • Penso, então existo.
  • Economia - Um jogo de Pôquer ?
  • Lula suicidou-se!
  • Curemo-nos a nós mesmos
  • Contratos - No âmbito da administração pública
  • A necessidade da política tal como a conhecemos
  • Política- O incrível exército dos moribundos
  • Ensaio sobre a existência
  • O conflito Israel-palestino - O Cerne da Questão
  • Uma velha profissão: Políticos artistas!
  • Bento XVI, a Igreja Católica e as mudanças
  • Construindo imagens do mundo.
  • Bolsa de apostas - Quem será novo Papa
  • Consciência Planetária
  • A segunda guerra da Coréia
  • Os sete trabalhos de Francisco
  • Precisamos de um novo modelo econômico?
  • Sobre Margareth Thatcher – Conclusão póstuma.
  • Sobre os povos indígenas[1]
  • Como acabar com o terrorismo – Um processo difícil
  • A tragédia portuguesa - A verdade !
  • A ilha de Páscoa, um exemplo da sustentabilidade
  • Feminino masculino - Hatshepsut e Joana
  • O futuro político do Brasil – Sem muita filosofia.
  • Atlântida - A verdade à luz de Platão.
  • O despertar do monstro humanidade
  • Sexo e filhos
  • Conto - Manitu e Alce Pensativo
  • Caminhadas pela natureza da vida
  • Entenda-se Lula e Dilma e “seus” governos.
  • O messianismo político na América do Sul
  • A fama no tempo dos que governam.
  • Os arquivos secretos de Lula
  • Entendendo o Senhor Ministro Barbosa
  • O extraterrestre de Catités
  • Os quatro cavaleiros do Petecalipse.
  • Rumos da política portuguesa
  • RecaPiTulando o PT....
  • O livro vermelho do Crack
  • Seja sempre honesto quando procurar emprego.
  • Acredite, há um modo fácil de ser feliz neste mund
  • Tese Social - A armadilha do Destino
  • Sociedades em transformação e o Mundo Gay
  • O mendigo [1] ilustrado
  • A nobre arte de varrer e o “socialismo transnacio”
  • Razões dos movimentos de rua no Brasil 2013
  • Carta aberta ao Governo e ao Congresso Nacional
  • A JURISPRUDÊNCIA E A MORALIZAÇÃO DO BRASIL
  • Egito – uma primavera da humanidade ?
  • Senatus Populis Que Brasilis.
  • Apelo às forças armadas do Brasil
  • Uma hora de cidadão na democracia participativa.
  • O voto
  • Sete bilhões de humanos procurando governo honesto
  • O PAPA FRANCISCO QUE SE CUIDE...
  • conto - Meus professores me enganaram.
  • Se eu fosse senador
  • o Nojo....
  • Como os cidadãos podem governar por si mesmos
  • Cabum ! Preparação para nova guerra ?
  • Traição à Pátria
  • A neve de Verão (sob o ponto de vista do boi)
  • Weimar 1919 e Brasil 2013 - Um paralelo
  • Porque o Papa Francisco pede para rezar por ele
  • Venha viajar de balão. É grátis.
  • INTERVENÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS.
  • Os acordos "Direita x Esquerda" e o fosso de vácuo
  • O caso dos Pesseghini. História mal contada ?
  • Brasil em impasse político
  • O Ciclo do Comunismo - Ascensão e queda.
  • Carta Aberta ao Ministro Lewandovsky
  • O “deus tutelar” - Seus efeitos sociais e ...
  • Esboço para alterações políticas - Brasil
  • O casamento e o presidente.
  • MOTIVAÇÕES de líderes mundiais
  • Limpando o senado federal, dando-lhe ética e moral
  • protocolo e cerimonial Planalto e Casa Branca
  • O amor nos tempos do dengue.
  • Minha admiração pela "Ladeira Abaixo 10"
  • O mercado de drogas. Como combater.
  • O melhor Partido Político.
  • Já sentiu saudades de um tempo que nunca viveu?
  • Acha que o “mundo” está mudando ?
  • O ultimo encontro com Fidel Castro
  • A Política no Brasil em tons de verde e amarelo
  • O Socialismo do século XXI – Nu e cru.
  • Ucrânia – Crimeia por Guantánamo?
  • O que podemos mudar no mundo para ser mais justo?
  • A Democracia Participativa e as eleições de 2014.
  • A famigerada copa Brasil 2014 da FIFA.
  • As eleições de 2014
  • O momento político-econômico do Brasil - jan 2015
  • 2015 - Já vimos este filme antes?
  • Refletindo sobre guerras - Teremos mais uma ?
  • A Grande Esperança para a humanidade e o Ambiente
  • A Ordem é uma estrada e por ela vai um Bando...
  • Contactos
  • Translate this Page



    ONLINE
    2






     DP

    Na humanidade, o que importa é o individuo. Todo o resto da paisagem que nos cerca serve para manter o individuo. Vivemos em sociedades, cada uma com suas características e se viverem em paz entre si não teremos guerras. Parece lógico, mas ou não é lógico, ou há grupos dentro das sociedades que não entendem esta lógica. Esquecem o coletivo e olham para si mesmos querendo o mundo para si. Restringem a humanidade ao seu grupo.

    Todo o ser humano que seja verdadeiro democrata é a favor: 

    1. Dos direitos da criança
    2. Dos direitos humanos
    3. Da paz entre as sociedades e as nações
    4. Da igualdade de gêneros perante a lei e as instituições religiosas
    5. Pela liberdade de expressão em qualquer lugar
    6. Pela sustentabilidade do planeta
    7. Pela proteção da vida selvagem
    8. De rejeitar qualquer movimento ou ação terrorista
    9. De rejeitar qualquer tipo de violência
    10. De votar item por item a própria Constituição que regirá o governo
    11. De ampliar a democracia ao direito de deseleger quem perca a confiança do eleitor
    12. De ter voz decisiva nas decisões de Estado, por votação popular. 
    13. Da Justiça independente da política
    14. Da nomeação de Juízes do Supremo Tribunal e Ministros por votação popular. 
    Blog recomendado para assuntos gerais relacionados ou não com este tema: